Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




terça-feira, 5 de novembro de 2013

Serões de Inverno na Aldeia


Estas histórias serão eventualmente do conhecimento de muita gente
da minha geração, naquelas noites frias de inverno no aconchego das
brasas a crepitar no larado da cozinha, mas a juventude hoje passa
os serões nas discotecas e outros locais de diversão com calor diferente
menos saudável e saturado.
Eram os nossos avós  ou as pessoas mais velhas da aldeia que nos contavam 
histórias antigas, que nós crianças na época adoravamos ouvir

Hoje Os avós já não teem lareiras nem os netos fazem serões com eles
Os idosos hoje são normalmente enviados para um lar da 3ª idade, ou em muitos casos 
vivem sózinhos nas suas casas com ou sem aquecimento no inverno
No meu tempo de criança os filhos e os netos acompanhavam os avós durante a vida inteira
Não havia eletricidade e a gente passava os serões á luz de uma lamparina de azeite 
ou a petróleo, e enquanto ouviamos histórias antigas as mulheres com as suas rocas
e fusos fiavam a lã ou o linho que se produzia em pequenas parcelas de terreno, e era tratado
desde a sementeira até á fiação pelas mãos das mulheres da  aldeia

Recordo com muita saudade alguns desses  serões passados com os meus avós maternos,
 que embora tivessem uma cozinha de reduzidas dimensões, era suficiente para nos sentarmos
todos ao redor da fogueira, onde por cima havi aquelas compridas varas onde as chouriças,
 morcelas, farinheiras etc, se encontravam a secar ao calor.
Naquelas longas noites de Inverno, depois da ceia, muitas vezes ao som da chuva
 e o vento a fustigarem impiedosamente  a aldeia,

 ali estávamos todos reunidos ao redor da fogueira,
 onde ardiam grandes toros de ervideiro, oliveira, pinheiro etc que se conseguiam 
arranjar nos campos,com a ajuda do machado ou da picareta
Havia ainda o momento de se rezar pelos familiares e amigos
já falecidos.
no final do serão os mais velhos ainda contavam algumas histórias  sobre coisas vulgares,
 mas havia outras com mais fantasia,
 que até metiam bruxas e espíritos, vagueando por casas e caminhos assombrados

Sem comentários: