domingo, 1 de maio de 2016

Ser Beirão é sobretudo ser Português

As Portas de Ródão são ao mesmo tempo as portas para entrar na Beira Baixa

A Beira Baixa é uma antiga província (ou região natural) portuguesa, formalmente instituída por uma reforma administrativa havida em 1936. No entanto, as províncias nunca tiveram qualquer atribuição prática, e desapareceram do vocabulário administrativo (ainda que não do vocabulário quotidiano dos portugueses) com a entrada em vigor da Constituição de 1976.

Distrito de Castelo Branco: Belmonte, Castelo Branco, Fundão, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova, Sertã, Vila de Rei, Vila Velha de Ródão

A fruta da Beira  começa agora o seu ciclo de vida, sendo a cereja  a rainha  e a primeira a ficar vermelhinha pronta para comer  depois virá Setembro que  doira as maçãs, perfuma a folha das melhores peras de Portugal,
e cada melancia como bojo de cântaro do Telhado, pode encher um cesto vindimo de Alcongosta"

Mas  a nossa Beira é tambem riquissima em gastronomia com inumeros e saborosos pratos regionais e doces de comer e chorar por mais
Vou apenas destacar um produto que foi consumido por milhares de pessoas diáriamente na nossa região

O CALDO NA PANELA Á BEIRA BAIXA com esta belissima foto da amiga
Olga Baptista Barreiros que nos garante que esta sopa é feita todos os anos em Monforte da Beira no dia da Festa da Bica e do Azeite,


Era assim confeccionado pelas mulheres das nossas aldeias havendo algumas (poucas) onde essa tradição ainda pressiste como acontece em Monforte da Beira
De manhã põe-se na panela à lareira ou em lume brando, com o feijão demolhado, água, o azeite, a orelheira e o focinho e a couve cortada. Tempera-se com sal e deixa-se cozer.

Ao meio dia, com uma escumadeira (localmente dá-se-lhe o nome de gadanha), retira-se o embrulho e come-se em tigelas. Dá-se-lhe o nome de berças ou beiças.

À noite, ao jantar, junta-se ao caldo o ramo de hortelã e o arroz ou a massa e come-se como sopa. Utilizando pão, este é cortado em fatias finíssimas e regado com o caldo que ferveu com a hortelã.


E UM BACALHAU Á MARGARIDA DA PRAÇA?



Demolha-se muito bem o bacalhau e assa-se na brasa ou na chapa.

Tem-se ao lume um tacho com água na qual se dá uma fervura rápida ao bacalhau.

Entretanto, já se tem preparada uma cebolada feita com as cebolas cortadas às rodelas finíssimas, o dente de alho muito bem picado e o azeite.

Cozem-se as batatas com a pele, pelam-se, cortam-se às rodelas e dispõem-se no fundo da travessa.

Coloca-se o bacalhau por cima e cobre-se tudo com a cebolada.

Serve-se bem quente.


AGORA UM DOCINHO para SOBREMESA

estas saborosas TEJELADAS á moda o Ingarnal



Untam-se tachinhos de barro vidrado vermelho com azeite e metem-se em forno bem quente.

Batem-se muito bem os ovos com o açúcar, o mel e casca de limão. Esta fase da receita é normalmente manual para ser batida com força. Em seguida adiciona-se a farinha e dissolve-se tudo com o leite.

Sem retirar os tachinhos do forno e com a ajuda de uma concha, deita-se a mistura nos tachos. Deixa-se cozer até ficar com a consistência de pudim.

Servem-se as tigeladas nos próprios tachos.


                                                             
                                                            ENTÂO  BOM APETITE

Sem comentários: