terça-feira, 31 de maio de 2016

BEIRA BAIXA

Promenores da nossa linda Beira Baixa  que não passam despercebidos ao mais comum dos seus visitantes

Um tear é um aparelho mecânico ou eletromecânico empregado para fins de tecelagem. Entre as variedades existentes, há o tear de pente liso e o tear de tricô (ou de pregos).
Na Beira Baixa existem ainda alguns exemplares em funcionamento em aldeias como Janeiro de Cima, Padrão. Martim Branco etc etc

QUEIJO AMARELO DA BEIRA BAIXA
Fabricado com leites crus de ovelha e de cabra, é um queijo curado, de pasta semi-dura ou semi-mole, untuosa, com alguns olhos irregulares, apresentando uma cor amarelada. A coalhada é obtida usando coalho de origem animal, aplicado ao leite cru. Para além do coalho e do leite, inclui também sal, nos seus ingredientes.
Após a obtenção da coalhada, segue-se o período de maturação, que dura entre 45 e 90 dias. Quando os 90 dias de cura são ultrapassados, passa a ser designado como queijo amarelo da Beira Baixa velho, adquirindo uma consistência mais dura e uma cor entre o alaranjado e o amarelo torrado.

Possui um aroma intenso e um sabor ligeiramente acidulado. A sua forma é cinlíndrica, com faces laterais abauladas, apresentando diâmetros de cerca de 14 cm e alturas de 5 cm. O seu peso médio é de 800 g.

As Portas de Ródão são ao mesmo tempo as portas para entrar na Beira Baixa


O património natural é um dos cartões de visita da Beira Interior. As suas paisagens bucólicas únicas atraem visitantes de todo o país. A neve, rara em Portugal mas frequente na Beira Interior, é o principal atractivo. É nesta região que se situa a maior área protegida do país, o Parque Natural da Serra da Estrela, que contém valores naturais relevantes, 


As Aldeias do Xisto são um conjunto de 27 aldeias distribuídas por 16 concelhos cujas construções são feitas de xisto. As aldeias estão situadas em 4 regiões principais; a Serra da Lousã, a Serra do Açor, o Zêzere e o Tejo-Ocreza 
Distribuidas por concelhos  aqui estão as aldeias de xisto que podem visitar na Beira Interior
No concelho de Arganil:
Benfeita
Vila Cova de Alva
No concelho de Castelo Branco:
Martim Branco
Sarzedas
No concelho da Covilhã:
Sobral de São Miguel
No concelho de Figueiró dos Vinhos:
Casal de São Simão
No concelho do Fundão:
Barroca
Janeiro de Cima
No concelho de Góis:
Aigra Nova
Aigra Velha
Comareira
Pena
No concelho da Lousã:
Candal
Casal Novo
Cerdeira
Chiqueiro
Talasnal
No concelho de Miranda do Corvo:
Gondramaz
No concelho de Oleiros:
Álvaro
No concelho de Oliveira do Hospital:
Aldeia das Dez
No concelho da Pampilhosa da Serra:
Fajão
Janeiro de Baixo
No concelho de Pedrógão Grande:
Mosteiro
No concelho de Penela:
Ferraria de São João
No concelho de Proença-a-Nova:
Figueira
No concelho da Sertã:
Pedrógão Pequeno
No concelho de Vila de Rei:
Água Formosa


Castelo Branco exibe aos seus residentes e visitantes um dos mais belos jardins existentes nas Beiras
Jardim do Paço Episcopal

Todos os anos a cereja é o ex libris do Fundão, de 15 de Maio a 15 de Julho, poderá participar nos passeios pedestres, na apanha da cereja, no festival gastronómico e na já famosa Festa da Cereja!


Em tempo de crise, a apanha da cereja vem animar a economia da Cova da Beira, no Fundão. Mas se uns esperam bons resultados económicos, Outros dizem que este vai ser um ano mau porque o fruto com o inverno rigoroso que se fez sentir por estas bandas demorou mais um mês a amadurecer  Vai haver muito menos quantidade embora a sua qualidade esteja a aumentar de  ano para ano

Sem comentários: