sexta-feira, 25 de abril de 2014

A caminho da Idanha

Hoje  não vou á pesca  como costumava ir há alguns anos com varios amigos para a barragem da Idanha
Hoje  vou apenas recordar e  matar saudades, e quero partilhar com todos os meus amigos especialmente aqueles que acompanham a evolução desta página, estas imagens  bem bonitas de uma pequena parcela da nossa Beira Baixa  que é a Idanha

 Começo com esta belissima paisagem do rio Ponsul quase no seu começo na Barragem Marechal Carmonha e que daqui vai até ao Tejo  ali prós lados de Vila Velha de Ródão
 
A experiência saudável de se envolver numa paisagem de rara beleza é aquilo que podemos encontrar neste recanto de Idanha a Nova  Percorrer caminhos atravessando extensas planícies, é uma sugestão que devemos ter sempre em mente e po la em pr´atica sempre que possivel
subir  montes através de estradas já antigas ou o prazer de fazer umas caminhadas pelos seus trilhos e ao mesmo tempo encontarr  e conviver com os gestos  a espontaneidade e usos de outras gentes . São algumas sugestões para passar  um dia sempre diferente… mais muito bom
 Esta é a capela que podemos ver um pouco abaixo da Idanha, Senhora da Graça de seu nome logo depois de atravessarmos a ponte de tempos remotos que atravessa o rio Ponsul
 implantada soberbamente no alto deste monte,  Idanha-a-Nova é uma vila portuguesa no distrito de Castelo Branco, um dos maiores  de Portugal
 Barragem Marechal Carmona mais conhecida  por Barragem da Idanha por aqui na região
 Se vier á Idanha  experimente passar umas boas horas em locais como este  bem no coração da Vila
onde encontra tambem restaurantes, hoteis e tudo o mais que nescessitar para passar aqui bons momentos
 Continuamos a admirar a barragem a partir das suas margens, aqui podemos dar otimos mergulhos e pernoitar no parque de campismo aqui situado . Podemos ainda passar horas  a praticar o desporto da pesca e a barragem era  em tempos muito abundante em peixe especialmente carpa  e onde se realizavam grandes provas de pesca desportiva
para além do mais que conhecido Hotel Idanha Caça que se situa  entre o Ladoeiro e a Ponte do Aravil na estrada  Castelo Branco para Monfortinho e Espanha, pode ainda desfrutar da comodidade  deste que vemos na imgem dentro da vila de Idanha
quem percorrer a estrada N354 entre a Sra da Graça e Alcafozes, localidade pertencente ao concelho de Idanha, onde se realiza anualmente uma grande festa em honra de Nossa Senhora do Loreto padroeira da Aviação, pode parar neste pequeno parque de merendas e  mais á frente poderá virar então á esquerda em direção á barragem e parque de campismo.
se entretanto pretender fazer uma visita á capela de Nossa Senhora do Almortão, local onde se realiza uma das maiores romarias da Beira Baixa, basta voltar á estrada e um pouco mais adiante encontrará mais um cruzamento e vira á direita.
A barragem da Idanha destinava-se ao aproveitamento das águas para a agricultura e para a produção hidroelétrica, contando para isso com um grupo gerador com uma turbina Francis, que num ano médio produz 4.5 Gwh de electricidade. Hoje em dia, a sua albufeira é um local de grande atração turística.
entretanto a caminho da barragem podemos parar por breves instantes para a beleza do campo e da vila da Idanha imponentemente situada no cimo do monte
O rio Pônsul que abastece do precioso liquido a barragem , atravessa os concelhos de Idanha-a-Nova (onde nasce) e Castelo Branco. É um afluente da margem direita do rio Tejo. Desagua em Malpica do Tejo, traçando a fronteira entre os concelhos de Castelo Branco e de Vila Velha de Ródão..


aqui podemos ver a escadaria existente á entrada do recinto da capela de N Sra do Almortão, que nos dias de festa fica a abarrotar de gente e tendas de vendedores ambulantes onde se pode comprar quase de tudo para além das lembranças alusivas á Santa.  e aproveito ainda para vos informar que a grandiosa romaria de Nossa Senhora do Almortão se realiza no fim de semana de 3, 4 e 5 de Maio  próximo
aqui vos deixo mais esta imagem do HOTEL ESTRELA DA IDANHA um nome a fixar pelos turistas que tenham o bom gosto de percorrer esta magnifica parcela de um País á beira mar plantado


10 comentários:

Antonio Bras disse...



Excelente reportagem.


Marita Santo disse...

Não gosto. Sou idanhense e fiquei revoltada. Encurralaram o recinto e limitaram a visão da capela... Estou sempre à espera de ver as garupas do gado à manjedoura e os pombos a sair dos pombais... Não sei de onde é que o arquitecto importou a arquitectura mas a meu ver, de muito mau gosta

Luantes Luis Antunes disse...

Pois é carissima Idanhense, como deve calcular não fui eu o arquiteto. mesmo assim se está a referir se ao terreiro da Sra do Almortão até nem está assim tão mal dada a sua localização no monte e longe da Vila teria que ter alguns sitios para preservar os romeiros do sol e da chuva e não só. A festa é meio religiosa e meio pagã pertencendo a esta a sua maior parte por isso tambem o terreiro terá sido arquitetado a contar com eles... digo eu, não sei

Marita Santo disse...

O blogue aceita todas as sugestões e eu respeito todas as opiniões. Dei a minha e mantenho-a. A festa é meio religiosa e meio pagã e foi assim que sempre a vivi. Gosto e desejo que assim continue. Contudo, e precisamente por ser meio/meio, havia que respeitar e preservar o devido espaço a cada uma das partes. Em anos de multidões, duvido que todos os que querem assistir à missa encontrem um ângulo que lhes permita ver o altar. Concordo em absoluto que se dê condições aos feirantes porque eles são parte integrante da festa. Que se façam todos os telheiros necessários para acolher os feirantes sim senhor, mas em meu entender, fora do recinto. E não falta espaço. Os terrenos envolventes e pertencentes ao santuario abrangem suficiente área. Aceito e respeito a opinião dos que discordam.

Maria Rita Santos Nunes disse...

Alguem me explica o que é isto? Não faço ideia só sei que não gosto

Luantes Luis Antunes disse...

Dona Rita Clique na imagem entre na página e vai ver que não precisa que ninguem lhe explique

Luantes Luis Antunes disse...

Dona Marita Santo acabo por estar de acordo consigo, realmente já lá estive e tive que ouvir a missa através dos altifalantes pois ninguém conseguia mexer se no meio de tanta gente

Marita Santo disse...

Maria Rita Santos Isto é o "monumento" edificado no recinto da Senhora do Almurtão, há mais ou menos 2 anos para comodidade dos feirantes

Marita Santo disse...

Luis Godinho Antunes, a falar é que a gente se entende. Gostei da sua página

Maria Rita Santos Nunes disse...

Sr Luis Godinho os meus parabens e agradecimentos pela belíssima pagina Tive sorte ou intuição em perguntar, doutra forma não teria conhecimento È na verdade muito interessante Bem-Haja