Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




quarta-feira, 29 de maio de 2013

E o Maxial aqui tão perto !!!

Ecos da Aldeia tem por função principal, mostrar e partilhar com todo o mundo as nossas raizes o nosso sítio onde nascemos e fomos criados, embora muitos tivessem que abandonar para procurar outras formas de vida mais promissoras, já que as nossas aldeias, tirando o pouco trabalho agricola não tem mais nada de onde possa ir buscar se o dinheiro para fazer face ás despesas familiares.

Deste largo á  entrada do Maxial saiem varias ruas 

Cruzeiro
Em 2012 já tinha publicado aqui no blogue algumas imagens do Maxial, hoje vou continuar a percorrer as ruas desta linda aldeia. aqui tão perto de nós
Um velho engenho que continua a servir para tirar agua com a força do vento

Pelo que me contaram há anos ,no tempo do meu avô,  dizam que o nome da aldeia vinha de uns senhores que andavam montados em “Machos”, (animal do sexo masculino, proveniente do cruzamento de burro com égua ou de cavalo com burra) todos os Domingos era costume ir a missa a Janeiro de Baixo,e o padre antes de começar a Missa perguntava:

 "Ainda não estão cá os dos Machinhos?"
 O Padre esperava pelos “dos Machinhos” antes de começar a Missa.

Daqui desta rotunda podemos sair para Castelo Branco passando pela Ladeira. para Bogas de 
Baixo, ou para o Fundão via Descoberto , Malhada Velha

 Diz-se que o Nome veio daí. Começou por se chamar “Maxial da Serra” depois passou a “Maxial da Ladeira”porque muito próximo se encontra uma outra povoação de nome Ladeira e ambas se situam numa ladeira do cabeço sobreiro na serra da gardunha.

Em Agosto ainda se faz festa em honra da Nª Sra. Da Saúde, dura em média 3 dias, entre outros tem a presença forte dos emigrantes que além da ajuda indispensável, também fazem força para que nem todas as tradições da Aldeia desapareçam.

Uma das ruas onde se notam algumas pequenas ornamentações para a festa


As videiritas encontram se espalhadas por toda aldeia para que em Setembro se possa fazer a vindima e fabricar um pouco de vinho para consumo próprio


O Cemitério da aldeia



Ruas pitorescas do Maxial de onde sobresaem o xisto e as flores

Sem comentários: