Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Aldeias votadas ao abandono

Bogas de Baixo não poderá ser conotada com o abandono das nossas aldeias Em Bogas de Baixo há realmente algumas épocas em que a aldeia está um pouco mais deserta, mas isso deve se ao facto de as nossas gentes se deslo carem para outros locais no país e no estrangeiro á procura de trabalho melhor remunerado A confirmar o que estou a escrever está a em que a maioria dos boguenses teem a sua casa
em Bogas e mesmo que não vivam lá o tempo inteiro, destinam sempre alguns dias ao logo do ano para matar saudades A Juventude não está disposta a abandonar a terra dos seus avós dos seus pais e tambem a deles. pelas fotos que partilho convosco, graças á Diolinda Silvestre ao Emanuel á Elsa e outos mais, que me ajudam na divulgação da nossa terra podemos verificar que Bogas é uma aldeia viva
Fazem se grandes confraternizações entre as gentes de Bogas
Nas alturas do chamamento as pessoas comparecem em jantares para angariar fundos para o Lar ou outras coisas nescessarias na terra
Quando um amigo faz anos faz se uma bonita festa de confraternização como aliás aconteceu aqui pela altura dos 60 anos do Ventura
Ele bem tenta agarrar me mas não consegue Fazem se magustos para o povo. a malta faz caminhadas até ao Penedo Mosqueiro sempre em alegre convivio graudos ou miudos juntam se sempre nestes eventos
a subida é ingreme mas de grande capacidade de se poder observar toda aquela radiante paisagem lá ao fundo nas margens do Zezere. um precurso que outrora eu já fiz a partir da quinta do Fojo descer até á Foz de Bogas e daí até ao Mosqueiro foi sempre a subir
mas chegados cá acima podem restabelecer se do cansaço do precurso percorrido podendo apreciar grandes paisagens tanto para sul seguindo o precurso do rio como para norte avistando uma grande quantidade de aldeias espalhadas pela Gardunha até ao sopé da Serra de Estrela, e depois deliciarem se com umsuculento piquenique neste lindissimo parque de merendas Por isto e por muito mais Bogas de Baixo nunca poderá ser considerada uma aldeia desertificada Evoluiu muito nos ultimos anos e continua e continua a pautar se esta junta de Freguesia na procura das formas eficazes e possiveis para o bem estar da população Bogas é mesmo assim

3 comentários:

Luis Antunes disse...

o meu primeiro comentario sobre esta postagem é para agradecer á rapaziada de Bogas a forma como através do facebook tem dado a conhecer as formas como esta gente tão bem sabe conviver
das mais dinamicas saliento a Cristina Simão, a Elsa Rodrigues, a Ane Marie Natário, a Diolinda Silvestre, o Emanuel. o Américo entre outros que mesmo sem intenção me teem dado mais vontade de ir continuando a escrever e mostrar a nossa linda Aldeia
obrigado

Anónimo disse...

Luis o que será das aldeias deste interior esquecido e muito deserteficado quando partirem as gentes nascidas nos anos quarenta e cinquenta???????????

Voz do Goulinho
Ala Poemas

António Assunção

rosa-branca disse...

Olá Luis, que pena muitas das aldeias ficam ao abandono. Acho que fiz a viagem até Bogas nesse belo documentário, embora gostasse de conhecer. Bela homenagem a quem dá a conhecer a sua terra.Beijos com carinho