Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




terça-feira, 19 de abril de 2011

Os Rios da Beira Baixa (Ocreza)

A Beira Baixa estende-se desde a Cordilheira Central até ao vale do rio Tejo. É a transição norte-sul, com características geográficas idênticas, em certos locais, às regiões nortenhas e noutros sítios ao Alentejo.
Uma belissima imagem do Rio Ocreza já dentro dos limites do concelho da Sertã
A Noroeste, onde ainda abrange parte da Cordilheira Central, é acidentada e montanhosa, destacando-se os contrafortes meridionais das serras da Estrela e a serra da Gardunha, esta última separada da serra da Estrela por uma longa e larga zona muito fértil e vulgarmente conhecida por “Cova da Beira”, atravessada pelo rio Zêzere.
Na Gardunha parte da serra virada a sul situa se a nascente do Rio Ocreza, cujo precurso com destino ao Tejo continuo hoje a divulgar para que todos fiquem com um maior conhecimento da beleza do seu percurso e das suas margens
Barragem da Pracana no rio Ocreza ali mesmo ao lado de Gardete
Ao longo das margens do rio onde a água é abundante e o solo mais ou menos fértil, dominam os campos fechados e de pequenas dimensões nos quais se pratica uma agricultura intensiva policultural (sem descanso do solo e com várias espécies vegetais em simultâneo). As culturas herbáceas (milho, batata, produtos hortícolas diversos, etc.) justapõem-se à cultura da vinha e das oliveiras.
A A23 atravessa o Ocreza a sul da Pracana cuja majestosa ponte podemos ver nesta imagem

Daqui até á foz é um saltinho. O Ocreza vai acabar aqui o seu precurso a solo, vindo a fazer parte do caudal do Tejo que o levará até ao Atlantico na Zona Estoril/Cascais

E aqui temos para terminar a viajem que fizemos ao longo do percurso do rio Ocreza, a sua junção com o rio Tejo, sendo antes atravessado pela linha de caminho de ferro da Beira Baixa cuja ponte podemos ver na imagem
Nas proximas postagens vou escrever algo tambem sobre o Zezere que para mim é ainda mais belo que o Ocreza

3 comentários:

Cristina disse...

O nosso país tem uma riqueza imensa em caudais de água, que nos proporcionam deslumbrantes paisagens e bons momentos neles passados.
Espero que os mesmos se mantenham imutáveis por muitos anos. Nestes casos, sou contra o desenvolvimento, pois este só traz alterações nas paisagens seculares e poluição.
Adoro a natureza pura, em todas as suas formas.
Continue a proporcionar-nos estas belas paisagens…

Cristina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristina disse...

Removi a mensagem anterior, pois ficou em duplicado...