Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




sexta-feira, 27 de junho de 2008

A minha pequena história

Ha muitos anos nasceu na linda aldeia de Bogas de Baixo um puto que cedo deixou a sua terra, indo morar com os pais para Castelo Branco


a minha antiga escola em Bogas


Regressou depois para frequentar a escola primária tendo ficado a viver primeiro com os avós António Agostinho e Salete Godinho. Mais tarde ja no terceiro e quarto ano do ensino básico, fiquei com o meu padrinho José Aostinho mais conhecido pelo (Zé ferreiro) por ser serralheiro civil. Ainda á antiga com o fole a fazer acender a forja para aquecer o ferro, se tornava imperioso que ainda de tenra idade aprendesse a bater o ferro para molda-lo e daí sairem peças tais como enchadas, roçadoiras, anchinhos, sacholas , etc etc

foi neste casario que vivi a minha infancia

Evidentemente que além disto era tambem o ferrador ca do sitio. E nessa data havia ainda muitos animais para ajudar nas lides da lavoura. Bois, Vacas, burros,cavalos,machos.

O carro de bois em dia de festa

Quase todas as familias tinham animais que puxavam os carros carregados de mato, lenha, colheitas das terras de cultivo como o milho para as eiras onde depois era destonado carregado para as lojas onde se faziam as debulhas, sendo esse acto um motivo de reunião e festa entre amigos, o feijão, as ervas para alimentação dos mesmos etc etc





Acabado o ensino basico lá parti eu a caminho de Faro para frequentar o ensino secundario no seminario
Com muitos colegas que recordo com saudade e alguns até continuamos a ter contacto

Seminario de S. José em Faro onde estudei

Foi optimo esse tempo, mas cedo compreendi que não era essa a minha vocação
Então alguns anos depois enveredei pelo mercado do trabalho, fiz de tudo um pouco e quando senti outra vocação que eu chamo de vocação familiar, casei
Vivi muitos anos no Fundão depois regressei a Faro, Mas antes passei por Moçambique,onde cumpri o meu dever de militar embora sempre muito critico dessa guerra injusta que na altura travavamos com muita gente maravilhosa, inocente e na terra deles: Passei por lisboa passeei pela europa mas nunca esquecendo a terra que me viu nascer e da qual guardo gratas recordações do meu tempo de criança
Agora em Faro procura sempre que posso, dar um salto ao berço e tento a partir desta pagina divulgar o mais possivel a linda aldeia onde nasci, mostrando a todo o mundo como o que é bom jamais se esquece