quinta-feira, 2 de abril de 2015

Aldeia da Picha



A minha página vai partilhar hoje com os meus amigos e visitantes as minhas recordações da passagem várias vezes pela Picha situada no nosso vizinho concelho de Pedrógão Grande  já no Distrito de Leiria.
A ultima vez que por aqui passei foi em 2009 numa altura em que visitei a minha aldeia Bogas de Baixo nas festas em honra de Nossa Senhora das Dores.
mas passei por cá muitas vezes na minha profissão de caixeiro viajante.
Vem a propósito esta minha postagem porque há dias quando quis partilha la com os amigos no Facebook., a mesma foi removida da página onde a publiquei, mas creio que esta aldeia e o seu concelho merecem ser divugadas.

Sobre a Picha. oferece me escrever o seguinte
A população da aldeia está envelhecida
. Existem poucas crianças e por isso o lugar já não tem escola. nem sequer lojas de comércio. Só há um café na zona baixa da aldeia, junto à estrada principal, chamado Café da Picha.
frente á área de serviço Repsol
 A Associação de Melhoramentos tem sede nova, mas o interior ainda está em bruto.


Em obras está a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, edifício secular construído pela população e que agora volta a sofrer melhoramentos. Se a empreitada ficar pronta, voltarão as festas anuais, que não se realizam há três anos.

Consta que o nome da terra teve origem numa fábrica de resina. Mas ninguém sabe explicar muito bem a razão exacta da denominação. Em tempos, já houve quem tivesse feito um abaixo assinado para mudar o nome da aldeia, só que a proposta de mudança para Pénis não vingou.
Os pichenses já se habituaram às perguntas dos forasteiros sobre tão invulgar toponímia. Trocadilhos e piadas são habituais quando a conversa é o nome da terra. Eles não se importam e gracejam.
Picha é apenas um dos muitos nomes de aldeias curiosas que ficam nas redondezas de Pedrógão Grande. Também existem Venda da Gaita, Derreada e Senhor dos Aflitos, por exemplo
A ultima vez que passei por cá já lá vão 6 anos parti de Castelo Branco fui até á Sertã e daí para o Pedrógão cujo concelho é dos mais ricos em belezas naturais Nota se que começam a ser explorados os recursos naturais, considerados como uma grande potencialidade do concelho, a par da riqueza cultural e infra-estruturas de apoio ao turismo.
Os locais de interesse turístico passam pela grande beleza natural deste concelho. A par das barragens, albufeiras e piscinas fluviais, também o centro histórico da vila assume destaque pelas inúmeras residências de traço da fidalguia provinciana..
Desde o Pedrógão rumei então até Vale da Gaita e a seguir a Picha, continuei na direção de Alvares mas na Louriceira voltei á direita em direção á Portela do fojo sempre com a vista extraordinária da albufeira da barragem do Cabril
Subi a serra, passando por locais onde antigamente pude vir ver grandes provas do Raly de Portugal, especialmente o troço da Amoreira.
A seguir entrei na vila de Pampilhosa da Serra tomando a estrada N112 que liga Coimbra a Castelo Branco , segui até ao Orvalho e logo depois a minha linda terra natal Bogas de Baixo

2 comentários:

Manuel Tomaz disse...

Nasci numa aldeia do concelho de Castanheira de Pera chamada Sarzedas do Vasco. Em linha reta, a aldeia da Picha fica a pouco mais de 5 Kms. Nunca fui lá, os meus conhecimentos são apenas de passar na estrada Pedrógão Grande - Castanheira de Pera. Em 1950, muito jovem, fui para Lisboa, por isso o motivo de nunca lá ter ido. Obrigado pelo seu post que está muito bem conseguido. Sempre gostamos de ver referencias às nossas origens.
Os meus cumprimentos,
Manuel Tomaz

Luantes Luis Antunes disse...

Amigo fico muito lisomgeado com os seus comentários.
Sobre as origens e as aldeias portuguesas especialmente as beirãs, gostaria de publicar ainda muito mais mas para isso as dicas e as propostas dos meus amigod e visitantes teem grande importancia pois incentivam nos a continuar
aquele abraço beirão