Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Aqui toda a gente é católica (continuação)




Estamos pertissimo do Natal e não poderia deixar esta quadra festiva sem vos saudar e desejar a todos um santo e Feliz natal ao calor da fogueira e beber uns copitos
As gentes da Beira, pessoas normalmente religiosas e cristãos querem provar na realidade que é assim porque continuam a celebrar a perceito o maior acontecimento no mundo o nascimento de Jesus Cristo
E é tambem um pouco por isso que hoje publico o madeiro que é também o principal motivo natalicio





Enquanto  espero pelas festas, penso em todos os Natais calorosos e maravilhosos quando  era criança, e dou-me conta de que um sorriso me ilumina a  face.  Na verdade, são tempos que vale a pena recordar! Contudo, reparo que, à medida  que fui ficando mais velho, as memórias do Natal tornaram-se menos vívidas e  foram-se transformando numa época triste depois da partida dos meus pais para a vida eterna

Enquanto os nossos Natais juntavam a familia inteira á volta mesa na noite da consoada via toda a gente com a alegria estampada nas suas caras porque era Natal
As filhoses nunca podiam faltar na nossa mesa durante toda a época natalicia. A minha mãe era uma boa cozinheira e as filhóses que ela fazia ficavam sempre uma delícia.
Na beira Baixa incluindo a minha aldeia Bogas de Baixo a velha tradição do madeiro a arder na noite de Natal no adro da Igreja continua viva e torna se uma boa maneira dos amigos se reencontrarem á volta fogueira e reviver histórias antigas
Igreja de Bogas de Baixo em cujo adro arde o madeiro e junta muita gente  que já  não se encontravam há anos e contribui para aquela conversa animada com o copito do tinto e uma filhó nas mãos

Um pouco mais acima na nossa vizinha Vila de Silvares a tradição também morre e a juventude não deixa por mãos alheias a recolha dos madeiros para arderem na noite fria de natal
Atravessamos o rio Zezere e eis nos em Casegas onde o espirito natalicio continua bem vivo nas gentes desta aldeia nossa vizinha
ali bem perto outra aldeia carregada de velhas tradições São Jorge da Beira que eu ainda conheci com o nome Cebola.. Por estar muito perto das minas da Panasqueira foi sempre uma aldeia com muita azáfama . Com muito comércio e industria e mantém ainda hoje com longos anos de actuaçõrs a Banda de S JOrge da Beira

Passamos pelos Tres Povos e chegamos imediatamente á Benquença onde a tradição ainda é o que era

Largo da Igreja de Vale de Prazeres em noite de Natal
no sopé da serra da Gardunha o madeiro contribui grandemente para o aquecimento de toda esta gente na noite fria do Natal
Sobral do Campo mais uma aldeia entre muitas na Beira Baixa a exibir o seu madeiro de Natal...

Gostaria de incluir aqui todas as nossas aldeias beirãs onde o madeiro é tradição, algumas com grande projeção a nivel local e nacional, como Penamacor , Idanha, Ladoeiro, Castelo Branco Fundão etc etc mais vai ter que ficar para outra ocasião

Sem comentários: