domingo, 23 de novembro de 2014

No coração das Beiras há qualidade de vida

Recordações das minhas pequenas viagens, usufruindo das belas paisagens e do ar puro que a montanha tem para nos oferecer
 Um dia pelas redondeas da Pampilhosa da Serra, vou hoje partilhar com todos os meus leitores e visitantes, um dos mais belos passeios que alguma vez se podem concretizar nestes locais


Saindo da Pampilhosa pela estrada das beiras, passamos imediatamente ao lado de Sobral de Cima, uma pequena aldeia de montanha pertencente à freguesia de Pampilhosa da Serra sede do Concelho com o mesmo nome.
Encontra-se a 4 km, numa suave encosta virada a sul .
A festa anual em honra do Padroeiro Senhor da Serra , realiza-se no 2º fim de semana do mês de Agosto.
A economia desta aldeia está ligada à floresta e à agricultura de subsistência. A área florestal da zona é constituída por pinheiro bravo, eucalipto, castanheiro, amieiros, e vegetação rasteira. As áreas naturais são ricas em água, podendo ainda hoje observar-se o precioso líquido brotando livremente nos locais mais inesperados. A fauna é constituída essencialmente por perdizes, coelhos bravos, raposas, aves silvestres e javalis


Seguindo em frente, avistamos o Moninho, aldeia pacata que se situa junto da estrada N112 que liga a Pampilhosa de Serra a Coimbra. Actualmente a população residente em Moninho não ultrapassa os 70 habitantes, contudo, no mês de Agosto, a população desta aldeia aumenta para cerca de 120 pessoas
Possui todas as infra-estruturas necessárias para a manutenção de uma boa qualidade de vida.


Não chegamos a entrar em Moradias, dado que um pouco antes, deixamos a estrada das beiras e voltamos á direita pela estrada N 343 que nos leva serra acima a passar ao lado do Soeirinho até á Quinra belide
Zona de rara beleza mas abandonada



Seguindo a mesma direção chegamos ao alto da serra do Vidual de onde avistamos uma extraordinária paisagem com toda aquela serra cheia de Ventoinhas eólicas que passando muito junto delas produzem aquele ruido enorme da sua rotação.



Aqui viramos á esquerda por um caminho Municipal que nos leva a Fajão, fomos ao adro da igreja, sentimos a frescura da Fonte Velha.
Percorremos os pátios do largo da cadeia e do Museu Monsenhor Nunes Pereira para chegar ao topo da aldeia.


Durante o percurso tivemos em atenção às tramelgas que escondem as fechaduras, bem como outros pormenores arquitectónicos singulares. Pudemos ver toda a história contada nos painéis de ardósia que remetem para os “Contos de Fajão”. Seguimos os passos do Juiz, sentámo nos à sua mesa no restaurante com o mesmo nome e descobrimos porque é que a gastronomia é um dos atractivos maiores de Fajão, com o cabrito assado, o bacalhau ou a tigelada.



Mas o nosso destino era mesmo a Barragem do Alto do Ceira ali ao lado de Camba. Esta bela aldeia serrana, de gente afável e hospitaleira, pertence á freguesia de Fajão, a norte do concelho de Pampilhosa da Serra, numa região denominada Alto Ceira, tendo a Serra do Açor e o Picoto de Cebola, (São Jorge da Beira) com os seus cerca de 1500 m de altitude, a formarem o seu horizonte próximo.







A Camba é banhada pelo Rio Ceira que nasce a pouca distância do limite norte do concelho, já nas “fraldas” da Serra de Estrela.
com as suas aguas geladas e de um azul escuro a transmitir nos que é profunda








Antes do fim deste magnifico passeio tivemos ainda aoportunidade de admirar nas encostas destas serras outras localidades, tais como
Ceiroquinho


Ponte de Fajão


Covanca


Porto da Balsa



e acabámos este passeio em Unhais o Velho

1 comentário:

Anónimo disse...

Asoraria poder voltar a estes locais maravilhosos