Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




sexta-feira, 16 de maio de 2014

Minha aldeia ao promenor

Quando não temos possibilidade de nos deslocar mos á nossa terra muitas vezes como gostaríamos, resta nos a alguns creio que bastantes boguenses recorrerem ás suas recordações, a reviver em pensamento os bons e os maus momentos aqui passados quando ainda eramos apenas jovens em idade escolar, porque a idade pré escolar não existia pura e simplesmente. tinhamos que cumprir 7 anos de vida para podermos ingressar no ensino básico, Escola Primária
Não podem os meus amigos ficar muito admirados por isto acontecer, porque não deve haver um unico Boguense que não tenha sempre a sua terra no coração. E neste aspeto creio que em nenhuma outra aldeia deste País as pessoas tenham sentimentos diferentes. Nós os Portugueses nascidos nestes locais perdidos pelos montes e vales nas regiões mais ao centro de Portugal, ficámos para sempre com o aroma dos pinheiros e as recordações da agua cristalina e ar puro que respirámos na nossa recordação
Bogas de Baixo  é a aldeia que aqui vos apresento hoje, partilhando convosco as imagens que comprovam o asseio e o bom gosto das gentes que habitam a minha aldeia.
Fica situada ao sul do concelho do Fundão fazendo Extrema com mais 3 concelhos desta zona do pinhal e da rota das terras de xisto. São eles o concelho de Castelo Branco, Oleiros e Pampilhosa da Serra.
O rio Zezere é durante uma extensão razoável a Extremadura com a Pampilhosa da Serra
Começo por avistar a aldeia a mais de 10 Kms de distancia e a partir daí até á Ponte de Bogas o nosso percurso é feito totalmente por meio de pinhais e outras arvores silvestres, tendo apenas o Orvalho pelo meio
Ao Chegarmos á ponte deixamos a Estrada Nacional e entramos na aldeia pela estrada municipal
E então  avistamos logo na entrada, o cabeço do outeiro Mais conhecido agora como o bairro da Portela, A capela da padroeira de Bogas de Baixo  Nossa Senhora das Dores á direita  e  o monumento de Jesus Adolescente á esquerda

Desço a rua da Portela, passo ao lado das Piscinas, e do Campo Desportivo, duas obras importantes construidas nos ultimos anos na aldeia, que hoje beneficiam toda a população muito especialmente a Juventude emigrante que todos os anos escolhem a aldeia para passar as férias de Verão.
A imagem que acima vos mostro é da minha antiga escola, hoje Centro Social onde funciona um Centro de Dia para os nossos idosos, que aqui são esmeradamente tratados com todo afeto, amor e carinho, por funcionárias excelentes. E irá passar em breve a Lar de Idosos estando pelo que consegui saber a obra pronta e mobilada.

    Este edificio foi durante muitos anos a sede da Junta de Freguesia como a imagem nos mostra, deixado de o ser o ano passado por causa da Reorganização Administrativa do Território decretada pelo Governo PSD/CDS que juntou a nossa freguesia com a de Janeiro de Cima ficando a chamar se União de Freguesias de Bogas de Baixo e Janeiro de Cima com sede em Janeiro                     
Casa Mortuária de Bogas de Baixo mandada construir pela Junta de Freguesia  há poucos anos. Aproveitaram terrenos do antigo Cemitério de Bogas que ficava aqui a 2 passos da Igreja, mas que hoje se situa no cabeço do Outeiro nas trazeiras da Capela de Nossa Senhora das Dores
Aqui do Largo do Relveiro, onde se situa a antiga Junta de Freguesia, O Jardim de Infancia infelizmente de pouca utilização, podemos ver uma panoramica parcial da aldeia com a casa que foi mandada edificar pelo tio Antonio Patrocinio e a Ti Piedade, em primeiro plano, è Aqui que desde a primeira vez que uma camioneta de carreira veio a Bogas de Baixo, que ainda hoje vem recolher e deixar passageiros . Tendo sido até durante muitos anos a garagem onde hoje está o edificio da Junta

Esta casa que vemos aqui meia escondida no meio das videiras era a casa dos meus tios Maria Rosa e Joaquim Patrocinio, onde passei noites e belos serões á lareira sempre em amena cavaqueira com os meus tios e outros familiares e amigos. Uma espécie de serões ao calor da fogueira

Rua da Mina, uma bela vivenda com jardins e hortas ao seu redor que pertence a gente boa e amiga
                                            


Já algumas vezes aqui no blogue e outros locais da rede social Facebook, mostrei esta casa e teci alguns comentários sobre ela. Foi reconstruida e eu pessoalmente acho a muito interessante, pertence á familia do ti Adelino que foi o principal negociante de gado e peles cá do sitio e onde existiu uma das primeiras tavernas/comércio na aldeia

A Europa deu um enorme empurrão na modernização da minha aldeia. Os boguenses emigrados por essa Europa muito especialmente França e Suiça vieram aqui construir ou reconstruir as suas vivendas onde passam no minimo um mês por ano
A rua do Biqueiro que sobe Em direção ás hortas e testadas de pinheiros da aldeia foi em tempos que já passaram á história a unica saida de Bogas em direção ao Fundão sede do concelho. E nem estava empedrada nem  asfaltada, sendo de pura terra que nem batida estava, sendo o degredo de quem tinha que a percorrer com os seus veículos desse tempo.ficavam por ali dias e noites atascados na lama e nas profundas regueiras que a chuva provocava . Lembro me especialmente das vezes que o padre Branco atascava quando ia para Janeiro de Cima ao ponto de ter comprado um gipe tipo militar, bem como o ti Antonio Almeida com a sua Peugeot 203 carregada de mercadorias para o seu comércio em Janeiro de Cima que ia abastecer em Castelo Branco

Esta é mais uma imagem a atestar o excelente Bom Gosto que as gentes de Bogas têm para ornamentar as suas residencias.
È lindo estão de parabéns os seus proprietarios e autores deste Bom Gosto
Rua da Bica
Esta foi a casa do meu tio Manuel durante quase toda a vida. aqui tambem me ficaram inumeras e belas horas da minha vida para recordar.
Ali no muro que assinalei com uma circunfrencia existia uma poça de água com bica onde as raparigas da aldeia vinham encher os cantaros sendo por isso ainda hoje a Rua da Bica



Esta é a Rua da Vinha do lado esquerdo a residencia do Aurelio Simão, do lado direito uma casa mandada construir pelo meu primo Luis, onde habitaram durante alguns anos os meus tios Maria Rosa e Joaquim Patrocinio, que antes viviam naquela casa de bico, que dividiam com o Ti Antonio Patrocinio irmão do meu tio Joaquim. Tenho uma foto muito antiga com a ti Piedade na sua varanda regalando se com a bela paisagem que estava a avistar
Aqui foi o meu berço, a casa dos meus avós e a do meu padrinho José ferreiro, onde existe debaixo desta latada um bela e refrescante esplanada onde a rapaziada bebe as suas bjekas bem fresquinhas servidas pelo Alfredo

Rua Nova que de nova só tem o nome. o mais que pode ter sido é renovada, pois já existia antes de eu nascer. Aqui  viveu gente fina  A Americana e o ti Tristão, aqui existiu o forno da ti Diolinda.é tambem e já era na altura as trazeiras da casa brasonada de Bogas onde vivia o Ti Manuel Belchior etc etc
Mais uma casa recuperada na aldeia que hoje pertence a familiares, mas que no meu tempo de Juventude era a residencia da nossa Professora Natércia e do seu marido Anibal Gama com os filhos. nas aguas furtadas da casa chegou a ser a minha escola da 3ª classe. e na loja da Casa existia uma loja de comercio do sr Anibal tipo hipermercado em ponto muito reduzido. Mas ali existia um pouco de tudo
Termino o meu percurso no adro da Igreja Matriz da minha terra  onde fui batizado, fiz a catequese e  primeira comunhão etc etc.
São muitas recordações juntas sempre dificeis de descrever devido muito especialmenta á minha vivencia com os amigos e companheiros de escola que nesse tempo seriamos mais de 60 numa pequena aldeia como Bogas de Baixo

9 comentários:

José Albuquerque disse...

gostei do passeio, mto obrigado

Gloria Gaby Custódio disse...

Obrigado primo, sempre um prazer ver fotos da nossa querida aldeia !!! Beijinhos

Cristina Simão disse...

Que bonito passeio por Bogas
Obrigado Luis!

Irene Strooband disse...

Oom Luis, prachtige natuur,en het lijkt mij zo rustig., lieve groeten irene.

(tradução possivel)

Tio Luis, beleza natural e isso parece-me tão quieto., saudações queridas irene.

Carlos Marques disse...

linda como sempre BOGAS DE BAIXO - BOM FIM DE SEMANA Sr. Luís

António Santos disse...

Muitas foram as tardes de Domingo, na década de 70 do século passado que passei sobre o gradeamento da ponte e parte periférica, e que, se observa na parte inferior da foto. E, muito bem acompanhado… Digamos que, por um exército de raparigas e rapazes. Que saudades dessas pessoas e desses tempos!.

Antonio Pires disse...

Como o sr Antonio Santos eu tambem recordo esses tempos com muitas saudades das pessoas de Bogas e desses bons momentos que por la passamos, Bons tempos!

Lourdes disse...

Olá Luís.
Não há dúvida que a net é, para uns, um grande meio de aprendizagem e, para outros, uma forma de matar saudades das suas aldeias mais queridas. Segui atentamente a sua descrição e consegui perceber o carinho com que descrevia cada local da sua terra mas também pelas pessoas que por ali consigo privaram.
Beijinhos.

Lourdes disse...

Olá Luís.
Não há dúvida que a net é, para uns, um grande meio de aprendizagem e, para outros, uma forma de matar saudades das suas aldeias mais queridas. Segui atentamente a sua descrição e consegui perceber o carinho com que descrevia cada local da sua terra mas também pelas pessoas que por ali consigo privaram.
Beijinhos.