Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

A serra da Estrela é um espetáculo

Continuamos nesta extraordinaria paisagem da serra da Estrela
agora iniciando a descida desde a torre até Manteigas
 Ao sairmos da zona da Torre mais precisamente do marco geodésico que prefaz os 2.000 metros de altitude da serra, e  retomarmos a N 339 passamos á beira da imagem de Nossa Senhora da Estrela esculpida numa das muitas rochas existentes na serra
 A partir daqui a descida é ingreme e temos toda uma paisagem deslumbrante  onde podemos avistar á nossa direita toda aquela imensa Cova da Beira com pano de fundo a 2ª maior serra  portuguesa  a serra da gardunha.
Aqui mesmo por baixo de nós avistamos a barragem do Padre Alfredo e mais abaixo as Cortes do Meio e Unhais da  Serra
 Entretanto estamos na zona da Nave de  Santo António e já avistamos o Centro do Limpa Neves da Serra da Estrela aqui mesmo no cruzamento das estradas 339 para a Covilhã e a 338 para Manteigas
A Nave de Santo António é um planalto situado a 1550m de altitude coberto de herbáceas 
.
 Na descida da Nave  de Santo António, vamos entrar no Vale do Zêzere o maior  Vale Glaciário da Europa com 13 Kms de extensão
O enorme comprimento deste Vale deve se muito especialmente, por ter sido alimentado pelas grandes porções  de Gelo da Nave  de Santo António, Covão da Ametade onde passaremos daqui a instantes, e tambem da Candeeira e dos Covões
 A estrada como podemos ver é sinuosa, não é muito larga, mas podem cruzar se 2 camiões com relativamente algum cuidado


Ao passar no Covão da Ametade fizemos uma pequena paragem e entramos dentro da área do Covão propriamente dita  e reparámos que as condições para se fazerem piqueniques é excelente, possui casas de banho e zona para lavar a loiça da cozinha para além de varios assadores para se poder assar carne ou peixe.
Aqui neste local nasce o rio Zezere a cerca de 1900 m de altitude, junto ao Cântaro Magro que podemos avistar como pano de fundo da imagem, O rio Zêzere é o segundo maior rio exclusivamente português, depois do rio Mondego que tambem nasce na serra da Estrela e  a poucos Kms de distancia junto ás Penhas Douradas, Os grandes desníveis, aliados ao volume de água (por vezes superior a 10.000 m³/s.), representam uma notável riqueza hidroeléctrica, aproveitada em três barragens (Bouçã, Cabril e Castelo de Bode), que produzem anualmente 700 milhões de kWh.

 quando estamos a atravessar este Vale sentimos que o clima é frio e nevoso,  vindo á nossa lembrança o tempo da abundancia de pastoreio cuja adversidade maior era  o lobo com a qual os pastores serranos tinham de contar. Os  abrigos de pastores ainda existentes  no Vale do Zêzere, revela muito do engenho humano e da harmonia homem-natureza. Estas coisas deveriam ter uma vida eterna ficando sempre com a sua traça primitiva
Aqui já muito perto da cidade de Manteigas, deparámonos com uma seta que nos indicava o caminho para o Poço do Inferno,  um dos ex-libris da Serra da Estrela. É uma cascata com cerca de dez metros, localizada num local apertado pela ribeira de Leandros. No Inverno, a cascata fica toda branca, cheia de colunas de gelo, proporcionando uma paisagem fenomenal.

E eis nos a entrar na cidade de Manteigas onde pudemos ver os grandes viveiros de Trutas aqui mesmo á entrada de Manteigas provar a agua a sair quente da terra  e com enorme sabor a enxofre,muito perto do Hotel e onde tambem existe uma Industria de engarrafamento de aguas minerais GLACIAR
,
Manteigas rodeada por grandiosas paisagens. como tivemos oportunidade de constatar,pertencente ao Distrito da Guarda, região Centro e sub-região da Beira Interior Norte
 A extensão do município por onde andei há anos na minha profissão  visitando a então poderosa industria textil aqui existente que infelizmente foi desaparecendo, passou a ser de 125 km². É também no concelho de Manteigas que fica localizada a formação geológica das Penhas Douradas, que se trata  também de uma localidade situada nas imediações.

Manteigas faz me recuar no tempo e relembro as minhas peripácias por aqui passadas e uma em especial quando um dia tentei atravessar a serra emdireção á Covilhã num dia de mau tempo fiquei bloqueado pela neve um pouco acima do Covão da Ametade mas consegui calcorrear a distancia que me separava do Centro de Limpa Neves para pedir ajuda tendo sido accionado um grupo com dois carros limpa neves e fomos encontrar o carrinho completamente coberto pela neve. Outras semelhantes aconteceram mas a mensagem já vai longa pelo que um dia talvez haja oportunidade de relembrar.
Fico me por aqui e amanhã ou outro dia continuarei viajem


2 comentários:

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde,
Excelentes fotos e uma bela fotorreportagem da maravilhosa natureza na Serra da Estela.
Musica de fundo está perfeita.
Abraço
ag

Anónimo disse...

Antonio Luis Oliveira

Bonitas imagens da Serra da Estrela.