Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

A Caminho da Covilhã

Estando eu em Manteigas e querendo ir até á Covilhã não me resta outra melhor opção do que regressar pela estrada que me trouxe até aqui e ao mesmo tempo fazer um percurso que fiz dezenas ou talvez centenas de vezes durante vários anos em que trabalhei na H. Vaultier -Covilhã e nas Industrias 1001 do Porto.
Quando esta localidade era um potente polo da Industria de Lanificios vinha semanalmente ver as faltas de material que os meus clientes tinham.
E posto isto subi até á Nave de Santo António, voltei á esquerda em direção ás Penhas da Saude, de onde se começa a ver um panorama de rara beleza.
Passei aqui ao lado da Barragem do Viriato que abastece de água a cidade da Covilhã. e ao passar aqui ao lado da Estalagem O Pastor vieram me á memória tempos passados quando ainda não existia muita diversidade de cafés e restaurantes aqui nas Penhas da Saúde, 
, vinhamos da Covilhã para passar aqui bons serões bem animados.
hoje as Penhas da Saúde está bem apetrechada de tudo o que qualquer viajante  em passeio ou para fazer férias nescessita no seu dia a dia, Hoteis, Parques de Campismo, piscinas, restaurantes e cafés, casas tipicas. bem perto a estancia de esqui Vodafone, com telecadeiras para comodidade dos praticantes,

O local possui um clima mediterrânico continentalizado, com verões amenos e invernos frios e com ocorrências de neve, por vezes abundantes. Há uma curta estação seca no Verão, mas o clima na localidade é bastante húmido.
 O mês mais quente é Agosto, com uma temperatura média de 16,5 °C, enquanto o mês mais frio é Janeiro, com média de 1,6, com neve  por todos os cantos em alguns locais de acesso muito dificil, mas de rara beleza
Ao deixar as Penhas da Saúde deparo me com esta paisagem incomparável que só aqui podemos apreciar. A Cova da Beira com a sua magnifica Serra da Gardunha.
Ao longe vislumbro a minha cidade, a bela e airosa cidade do Fundão, terra bem conhecida mundialmente não só pelo clima e pelas cerejas que são o seu ex-libris, mas tambem pela sua população composta de gente maravilhosa com uma grande capacidade de receber os seus visitantes de braços abertos e muita hospitalidade.
Antes de iniciarmos esta acentuada descida até á Cidade convenm ter atenção á velocidade, devemos descer muito devagar não só para apreciar a paisagem mas também para pouparmos os travões e o motor  do pópó

Continuando a descida em direção á cidade acabamos por passar ao lado do antigo Sanatório das Penhas da Saude, um pouco mais abaixo por este grande complexo turistico a Varanda dos Carqueijais.

Para os praticantes do campismo e caravanismo temos logo ao passar da esquina o Parque de Campismo do Cabeço do Pião. de onde se pode apreciar magnificas paisagens e aspirar o aroma da flora desta linda Serra.
Entro na Covilhã passando ao lado do Parque de Jogos onde joga o Sporting da Covilhã, desço em direção da rua Rui Faleiro que vai desembocar diretamente á Praça do Municipio
Nesta Praça é onde outrora e  concerteza ainda hoje se poderia considerar a fina flor da cidade
Com as instalações principais da Camara Municipal, ao seu lado pude ver o que resta do Montalto, e do Cine Teatro da Covilhã
Em baixo a Igreja da Misericórdia que tem sofrido alterações ao longo dos anos  bem como esta rua aqui por baixo do gradeamento, 
 Rua Capitão Alves Roçadas onde se situava  o estabelecimento da H. Valtier quando comecei a traballhar nessa firma, algum tepo depois do 25 de abril deflagrou um grande incêndio destruindo grande parte dos prédios desta rua até ao Neve hotel que nessa altura era propriedade da Organização Hoteleira Almeida Campos cujo fundador e familia eram oriundos de Fajão nas Serras da Pampilhosa
Aqui ao lado na esquina da Rua Direita com a Praça do Municipio existe a Montiel, a minha pastelaria preferida onde adorava  tomar o pequeno almoço e lanchar e ao mesmo tempo comprar bolos para levar para casa pois a miudagem adorava comer guloseimas


O nosso estabelecimento ficou tambem irreparável e valeu nos este Armazém que tinhamos aqui na rua Peso da Lã ao lado do Clube dos Industriais, fizemos algumas alterações e passámos para aqui o estabelecimento até á completa extinção da H Vaultier.
Da Covilhã nada mais  tenho para escrever, todo o mundo conhece esta cidade.
Caros amigos e visitantes, fiquem bem, comentem se quiserem e até á proxima viajem próxima corrida que irei partilhar com a promessa de ser muito brevemente e a mudança de ares, outras terras outras gentes

1 comentário:

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde,
excelente fotorreportagem de uma zona linda onde ainda a natureza é rainha.
Fotos excelentes.
Abraço
ag