Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Rumo a Bogas de Baixo

Vamos deixar para trás o Orvalho, localidade que se espraia por um vale junto à ribeira do Orvalho, destacando-se o núcleo primitivo onde se enquadra a Igreja Matriz e o Largo Nossa Senhora de Fátima, onde se encontra a Torre Sineira

.

O miradouro do Mosqueiro constitui um ponto bastante interessante do ponto de vista paisagístico. De realçar será também a Cascata de Água d´Alta que visitei na postagem anterior. No que diz respeito ao património edificado, será de referir o altar – mor da Igreja Matriz.
E é para o Penedo Mosqueiro que vou subir antes de tomar a estrada para a minha linda terra, Bogas de  Baixo




Deste local maravilhoso mandado construir em conjunto pelas Freguesias de Orvalho e Bogas de Baixo, podemos ver em seu redor uma paisagem de grande beleza
No horizonte avista-se a Serra da Estrela. Mergulhado numa vegetação arbustiva, o Parque tem espaços variados, o miradouro de onde poderá observar uma vista única e a tão desejada zona de merendas para os amantes do piquenique.



Daqui posso avistar todas as aldeias nossas vizinhas, como Maxial, Janeiro de Baixo, Janeiro de Cima, Maxialinho, Esteiro, Urgeiro, etc etc , isto virados para a serra da Estrela, no sentido Contrario  avistamos Admoço, Cambas e aqui mesmo em baixo toda a povoação de Orvalho



Pela estrada que me leva a Bogas vou recordando a cada quilómetro que percorro algumas coisas que não existem mais ou que estão em completo abandono, isto nota se mais quando olho lá para baixo e vejo a Quinta do Fojo toda queimada  e o Linteiro sem moradores.



Ao Passar aqui na Feiteira que pertence á familia já que era propriedade do meu avô noto que já nada se cultiva por aqui, recordo me do tempo em que isto era um jardim
E eis me em Bogas
Foi sede de uma freguesia extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional, para, em conjunto com Janeiro de Cima, formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Janeiro de Cima e Bogas de Baixo



Bogas de Baixo dista de 45 km da sede do concelho e agrega os lugares de Ladeira, Maxial e Urgeiro. É uma aldeia desenvolvida com muitas moradias luxuosas, ruas e estradas com boas condições para serem transitadas, ar ainda sem as cargas poluentes dos grandes centros, uma flora rica em cores e aromas. Enfim uma aldeia onde dá gosto estar.



A Capela de Nossa Senhora das Dores, santa considerada padroeira de Bogas de Baixo, está situada no Cabeço do Outeiro à entrada da povoação.
Bogas dispõe há alguns anos dum belo espaço onde as pessoas mais idosas da nossa freguesia podem passar o seu tempo fazendo tricot, pintando ou simplesmente cavaqueando com outras pessoas, 


E com a Nossa Senhora das Dores vos deixo até á próxima etapa recordarei algumas coisas das aldeias nossas vizinhas, procurando deixar algumas belas imagens

Como devem calcular, a satisfação de um blogueiro é ver as suas mensagens comentadas

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Saio de Oleiros, vou para Orvalho

Saida de Oleiros  com destino ao Orvalho
Tenho duas hipóteses de o fazer , uma seria voltar á esquerda subindo a serra  passando por Ribeiro das Hortas até Cruz do Casal Novo, descendo depois até Alvaro , atravessando a ponte que liga os dois concelhos  Oleiros e Pampilhosa da Serra bem como os dois distritos Castelo Branco e Coimbra, depois seguia até á Pampilhosa, mas optei pelo 2º e então passei aqui na ribeira de Milrico ao lado desta construção onde existia um comércio que foi meu cliente mas isso já foi há mais de 25 anos

Um pouco mais á frente continuo a reviver tempos já passados vendo e observando algumas transformações em empresas que eram clientes, esta industria de serração e comércio misto em Milrico foi minha cliente antes de ser debastada por um incêndio, está agora mais modernizada depois da sua reconstrução
Cruzamento do Roqueiro mais uma enorme industria de madeiras que no tempo que foram meus clientes se chamava  a CORMIL, não sei se mantem o mesmo nome ou mudou para outro
a imagem  que se segue é uma panorâmica da povoação da Ameixoeira Junto da estrada que liga Oleiros a Castelo Branco
Poucos Kms percorridos e eis me a entrar na bela localidade de ESTREITO, onde possuia tambem uma bela carteira de clientes

O Estreito situa se num planalto, quase á altura da serra do Moradal e é uma terra com muita industria e comércio, madeiras , resinas, produtos alimentares etc etc.
Mais ou menos bem servida de transportes publicos com a principal empresa Rodoviária da Beira Interior em serviço podemos inclusivamente ver um dos seus autocarros a entrar na localidade
Está rodeada de varias povoações mais pequenas Como S. Torcato, Vale Redondo, Corgas, Espinheiro etc etc

 
O caminho que dá acesso á serra, passa por entre penhascos e locais muito apertados, e era por aqui que no meu tempo de vendedor eu viajava para visitar clientes do lado de lá da serra, Saía pelo Vale, passava por Vidigal, Pião, indo sair á estrada que liga a  Sarzedas á Sarnada de São Simão, entre Magueija e  Azenha de Cima e posteriormente á N 238

e foi aqui precisamente no seu entrocamento com a 238 que voltei á esquerda em direção a Vilar Barroco, depois por Vilarinho, Quinta do Aziral e  eis me a chegar ao Orvalho,


Passei aqui num lugar de grande beleza que muita gente desconhece mas merece certamente uma visita, Junto das excelentes fontes existentes à beira da estrada, um miradouro natural permite-nos admirar a muralha quartzítica que se ergue de um bosque denso por onde o Ribeiro de água d’Alta desaparece. Pelo som forte de água a cair adivinham-se as cascatas de Fraga de Água d’Alta a cair
Esta lindíssima paisagem está inserida na área do Geopark Naturtejo da Meseta Medidional. O território representado pela empresa intermunicipal Naturtejo – que engloba os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Proença-a-Nova, Vila Velha de Ródão e Nisa – pode estar prestes a tornar-se o primeiro geoparque português, integrando a Rede Europeia destes espaços, um organismo tutelado pela UNESCO

Entrei no Orvalho, passei pela torre do relógio situada no largo da eira, pela rua da Igreja e vim dar aqui ao crzamento com a estrada Nacional 112 que liga Castelo Branco e Coimbra
neste pequeno aglomerado de casas, numa delas viveu a minha tia que infeliamente nos deixou  e numa outra á esquerda moram os primos.
A seguir temos uma imagem do restaurante Pérola do Orvalho onde comi muitas vezes e abastecia o carro com combustivel, um estabelecimento com quase tudo o que a gente nescessita durante uma viajem, inclusivamente pneus
mas como já devem ter notado tenho andado por terras de grande produção de madeiras e o Orvalho não fica atrás porque tambem aqui existe uma grande empresa de transformação de madeiras a Pinorval, que sempre vai oferecendo trabalho a muita gente cá da região
Vou até lá acima ao Penedo Mosqueiro, visitar o seu excelente Parque de Merendas, deslumbrar me com a paisagem que podemos desfrutar ao redor do mesmo e avistar a minha terrinha natal Bogas de  Baixo, uma história que virá a seguir, 
Fiquem bem e não se esqueçam de comentar

Como devem calcular, a satisfação de um blogueiro é ver as suas mensagens comentadas



quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

De novo na estrada á espreita de outros encantos

A Sertã já está para trás e estamos a chegar á localidade de Maxial onde antigamente tive um cliente Industrial de madeiras uma atividade com muita força nesta Zona, pois é uma das maiores zonas de Pinhal do nosso País e embora tivessem sido dizimados pelos incendios, restou ainda alguma quantidade para continuar a dar trabalho ás gentes deste local
desta como de todas as outras aldeias da zona do pinhal as paisagens são sempre uma maravilha
Depois de Maxial depressa chegàmos á Cruz de Fundão, o seu nome deve  se certamente por estar um pouco acima da pequena aldeia de Fundão e estar localizada justamente num cruzamento
onde existia e existe mais uma industria de madeiras
Seguindo sempre pela N238 chegámos em poucos minutos á povoação de Troviscal
Uma Freguesia bastante modernizada e talvez um pouco mais pelo turismo, para além de estar numa zona que podemos considerar coração de Portugal, possui para alem de muitos outros melhoramentos uma belissima praia fluvial, que dadoa a distancia a que se encontram do mar é uma ótima opção para dar uns mergulhos.O isolamento, a calma e o contato com a natureza são os encantos desta praia, localizada na ponte do Troviscal, em plena ribeira da Sertã, 
Do Troviscal temos  a sorte de apreciar uma belissima paisagem cheia de pequenas aldeias dispersas no meio dos pinhais  Além é o Carvalhal estou me a lembrar de Fundão, Troviscainho, Dona Maria , Vale do Souto etc etc. na Serra de Alvelos
Continuando passei em Videirinha  Chelinho, Cavalinho e cheguei á aldeia de Mosteiro, continuamos a viajem e passamos ao lado do Pisão, aqui nos Lameirinhos do Pisão existe uma outra grande empresa de materiais de construção 
A estrada acompanha sempre  a ribeira da sertã pela sua margem direita dando nos a oportunidade de podermos apreciar lindos açudes  com belissimas quedas de agua, praias fluviais etc
Seguindo viajem , passo por casal redondo e entro na Vila de Oleiros
Passei por aqui bons momentos nos anos que  tive por cá muitos clientes e amigos
Camara Municipal
 Oleiros é, sem dúvida, o núcleo central da hierarquia porque é ele não só polariza a actividade económica e administrativa do concelho, como também e mais significativo número de equipamentos colectivos e de apoio à actividade sócio-económica.
A sua capacidade de atracção sobre o resto do concelho é manifestamente superior aos restantes aglomerados, porque detém uma posição chave na estrutura posicional de oferta e acesso a bens e serviços, Paralelamente, é o aglomerado de maior volume populacional e urbanístico.
Aqui funciona a secção de finanças 
O Centro de saude  tanto quanto sei funciona nas instalações do Hospital. e porque razão? será que o Hospital Barata Relvas deixou de existir?

Foi assim que conheci este Hospital, já passaram mais de 15 anos, deve ter evoluido muito

Terra de paisagem quase sempre grandiosa, Oleiros dispõe, um pouco por todo o concelho, de imensos locais capazes de proporcionar excelentes panorâmicas
Para além disso tem a meu ver sido bem administrada a nivel da autarquia que ao longo dos ultimos anos soube chamar a atenção para as potencialidades gastronómicas, com a realização de vários eventos
Li esta semana nas páginas do Jornal do Fundão que irá ser criada a Confraria do Cabrito estonado, 
cabrito estonado
Nesse sentido tem havidono terreno um considerável trabalho de recolha de informações, nomeadamente ao nivel da elaboração dos estatutos para a dita confraria e para a qual o Capitão piloto Aviador,António Fernandes, que é natural cá da terra, é um grande entusiasta.
Mas Oleiros é da Terras da Zona do Pinhal e das terras de xisto uma das mais importantes a nivel de tradições tendo sabido manter ao longo dos tempos a sua essência e as suas raizes
Praça da Republica, ao fundo vemos a Igreja Matriz
Em Oleiros existem vários edifícios que se podem englobar no património artístico; Igreja Matriz de Oleiros, Igreja da Misericórdia de Oleiros e todo um conjunto de Igrejas ou Capelas espalhadas pelas aldeias concelho.
Bonjardim: beleza natural
. As formas salientes mais importantes que se levantam na área do concelho são as serras de Alvelos, do Muradal e da Lontreira, fazendo parte do Maciço Central
Muitas mais coisas importantes se poderiam contar sobre esta bela e moderna vila de Oleiros mas deixo vos o endereço de uma outra página onde é possivel ficar muito mais conhecedor Enriqueça os seus conhecimentos aqui
Depois disto resta apenas deixar vos a certeza que volto em breve, vou continuar a viajem até á minha aldeia natal, e ainda não decidi se vou por Alvaro e Pampilhosa da Serra  ou sigo daqui direito ao Estreito e depois Orvalho, amanhã logo se vê, até lá fiquem bem e divirtam se e não esqueça

Como devem calcular, a satisfação de um blogueiro é ver as suas mensagens comentadas

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Pés a caminho e cá vamos nós

Cernache de Bonjardim
O próprio nome revela a quantidade de terra que situada num local fértil em agua, possui uma vegetação de qualidade que produz abundância de cereais,azeite,frutas e produtos da horta.

Havia por aqui antigamente grandes pomares de citrinos que  foram desaparecendo ao longo dos anos quase completamente. Cernache passou a ser muito mais importante e conhecida em Portugal inteiro a partir da construção do seu Seminário nos ultimos anos do século XVIII

Passou a chamar se Seminário do Grão Priorado,  pois  foi mandado erigir pelo vigário e provisor Geral do Grão Priorado do Crato, D. Manuel Joaquim da Silva.
Foi mais tarde mudado o seu nome para Real Colégio das Missões pelo rei D João Vi que tambem contribuiu para a sua fundação


Esta localidade por causa da remodelação autárqica ficou a pertencer á União de freguesias de Cernache de Bonjardim, Nesperal e Palhais
Neste momento constituem uma grande freguesia com muitas potencialidades turisticas.

Teve tambem uma empresa de camionagem fundada em 1940 – Companhia de viação de Cernache, empresa de camionagem e transportes públicos, que mais tarde adquiriu a empresa de Transportes do Zezere no Fundão, até á sua nacionalização ficando a fazer parte da Rodoviária Nacional 

Daqui e depois de ter visitado muitos locais que me trazem boas recordações  vou para a Sertã
saimos pelo Altoventoso, Fonte da Mata e Faleiros,
entrando depois na Sertã pela av dos Bombeiros Voluntários  e daqui da entrada da Sertã neste local podiamos escolher o itinerário que mais conviesse para  Cernache 

Sertã pode tambem ser uma variedade de frigideira é por iso que anda nas bocas do povo que contam umalenda dos tempos de Sertório, a fortificação foi atacada pelos Romanos, tendo morrido na refrega um corajoso Lusitano, cuja mulher, de seu nome, Celinda, ao ter conhecimento da sua morte, e estando a fritar ovos numa sertã (frigideira), despejou o azeite a ferver sobre o inimigo que assim se viu impedido de tomar de assalto a fortaleza.

E para memória de tal façanha se deu o nome de SERTÃ à vila, sede de Concelho

Edificada no século XVIII, a capela de São Sebastião está situada junto à Alameda da Carvalha e é local de culto para a grande maioria dos habitantes da vila.



Aqui passei muitos dias em tempos passados, pois esta Vila com muitas casas comerciais deu me a vantagem de ter angariado aqui muitos comerciantes clientes para a empresa que representava


Aqui na Praça da Republica por onde irei sair  em direção Oleiros, tinha este comercio de drogaria como cliente, Mas um pouco por toda a Vila e povoações limitrofes possuia eu uma enorme carteira de clientes
Por isso conheço esta Vila como a palma das mãos.
Já anteriormente noutras postagens referi a boa gastronomia da região mas nunca será de mais relembrar que é uma raridade preciosa o que ele nos oferece.
 As iguarias mais conhecidas são o maranho, o bucho recheado e a sopa de peixe, mas os enchidos, o peixe do rio, a broa de milho, os cartuxos de amêndoa, os coscorões, as merendas doces, os queijinhos de cabra, o queijo fresco e a aguardente de medronho são igualmente de relevar.
 e antes que me deixe ainda com mais apetite, fico me por aqui.
Depois vou para Oleiros e os meus amigos vão poder conhecer virtualmente os caminhos que percorri até lá

sábado, 18 de janeiro de 2014

Por montes e vales no Centro de Portugal

Saimos de Vila de Rei pela estrada que liga a Ferreira do Zezere e passámos em Estevais 

As Minas dos Estevais junto ao Vale do Velido tratam-se de um poço rodeado por um muro, com galerias em dois sentidos distintos (Batata e Gaspar, 2000, p.118-119). A profundidade deste poço é de cerca de 4 metros, tendo este sítio sido aproveitado como mina de água 

Vilar Ruivo e chegámos á ponte sobre o Zezere (barragem de castelo de bode)
Aqui a paisagem é uma autentica maravilha, tanta água e tanta verdura, muitos pinheiros e eucaliptos que são os pulmões de toda esta zona.
Aqui junto da ponte entramos na povoação de Zaboeira Localizada na Albufeira de Castelo de Bode, a praia da Zaboeira é um local aprazível onde crianças e adultos podem desfrutar de momentos de diversão na sua piscina flutuante.

Prevalece na envolvente da praia uma densa e agradável arborização. Junto à típica aldeia da Zaboeira, as águas da albufeira de Castelo Bode convidam a um mergulho. Alimentada pelo Zêzere, proporciona excelentes momentos de lazer, descontração e ação

Daqui partimos em direção ao concelho da Sertã,passando em Fernandaires ainda no concelho de Vila de Rei.Este local possui condições excelentes para actividades náuticas ou simplesmente para passar um dia calmo a relaxar
 Tem à nossa disposição uma piscina flutuante, casas de banho e um bar com esplanada, com uma vista lindíssima para a Albufeira. 

Depois  Vilar do Ruivo e fomos até á ponte sobre a Ribeira da Isna e logo a seguir entramos em Palhais
è uma freguesia do concelho da Sertã tambem muito conhecida por ser um ponto de passagem para a praia Fluvial do Trizio onde se praticam diversos desportos nauticos´
A isto eu chamo turismo de qualidade no Trizio, mesmo á beira da Agua e da prática de desporto, respirando o ar puro que ainda se pode desfrutar nestes locais
Ouvi por aqui falar sobre uma lenda que diz que D. Nuno Álvares Pereira pernoitou em Palhais antes de partir para a gloriosa campanha de Aljubarrota.
Saí de Palhais em direção a Cernache de Bonjardim

pela estrada Municipal 534 passando sobre a ribeira da Sertã, e passei por diversos locais, aqui as povoações s-ao muitas e perto umas das outras, uma delas é Ventoso Cimeiro,
depois vem a Quintã, onde dágosto ver as hortinhas nos quintais das habitações com belas couves  e outras variedades de hortaliça.
Segui até Ramal da Quinta que fica no entrocamento desta estrada com a N238  que passa por Cernache de Bonjardim  em direção á Sertã
deste local que fica já na entrada de Cernache, chegámos á Vila propriamente dita
Cernache de Bonjardim é uma terra carregada de historia e de tradições, mas isso ficará para a proxima  quando sairmos daqui em direção á Sertã