Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




quarta-feira, 12 de dezembro de 2012





Na minha aldeia as filhóses fazem quase sempre parte da ementa em qualquer data festiva, mas é no Natal que esta tradição se mantém, tal como o velho ditado "natal natal, filhóses com vinho não fazem mal"
Ainda me lembro quando a minha avó fazia aquelas belas e saborosas filhóses que eu adorava
acompanhava quase sempre a sua confecção até ter na mão aquele boneco de massa da filhó frita.

 filhóses á moda da minha avó

Aqui vai a receita que poderá aumentar conforme o consumo previsível
1 kg de farinha de trigo
10 ovos
1/4 Lt de azeite
1/2 cálice(s) de aguardente branca
1 colher (café) de sal
30 gr de fermento de padeiro
sumo e raspa da casca de laranja

Punha se a farinha na maceira, abria se uma cova no meio da farinha e deitava se para dentro os ingredientes,crescente ou levedura,leite,ovos, aguardente sumo e raspa de laranja e o sal.
Começava a amassar pelo meio. Ia amassando muito bem com bastante força e rapidez de mãos, até que a massa ficava fofa e leve.
Depois cobria a maceira com um pano e guardava num local quentinho á beira da lareira durante cerca de 2 horas e a massa aumentava de volume.

Depois, deitava uma grande porção de óleo dentro dum tacho fundo e punha ao lume. e quando o óleo já estava quente, retirava com as mãos pedaços de massa, esticava os em cima do joelho revestido com um pano de linho com a ponta dos dedos e metia dentro do tacho enquanto o meu avô ajudava voltando as filhoses dentro do tacho e quando já estavam lourinhas escorria as e depositava as num cesto preparado para o efeito.

Uma das minhas avós já incluia o açucar na massa e a outra não...
polvilhava as com uma mistura de açucar e canela

Bom apetite.

Outra receita Beirã que é quase igual á anterior

Ingredientes:
20 g de fermento de padeiro
1 dl de leite
750 g de farinha de trigo
1 c. de chá de sal
8 ovos
1 dl de azeite
1 dl de aguardente bagaceira
azeite para fritar
300 g de mel
1 dl de água
açúcar fino q.b.
canela para polvilhar
Foto: Filhóses de Bogas de Baixo


Preparação:
Dissolve-se o fermento no leite morno e junta-se um pouco de farinha e o sal. Mistura-se de modo a obter uma massa branda.

Deixa-se repousar durante 15 minutos. Deita-se a massa num alguidar, adiciona-se um pouco de azeite e três ovos batidos.

Mistura-se tudo bem, batendo com a mão aberta. Depois, juntam-se o restante azeite, a aguardente e os ovos que restam, amassando, ou melhor, batendo a massa.

Esta deve ficar mais branda do que para o pão. Sendo necessário, adiciona-se um pouco de leite. Abafa-se a massa e deixa-se levedar durante 4 horas em local temperado.

Depois, põe-se o azeite no lume e com as mãos untadas com azeite tiram-se bocados de massa do tamanho aproximado de um ovo, estica-se a massa numa rodela o mais fina possível, fazendo-lhe buracos com as pontas dos dedos.

Introduz-se os filhós no azeite e, com um garfo comprido, força-se a manter a forma para os lados, esticando-a, pois a sua tendência será de crescer para cima.

Depois de loura dos dois lados, põe-se a escorrer sobre papel absorvente. Isto deve ser feito com muita cautela, pois as filhós apresentam-se finas e esburacadas.

Frita toda a massa, deita-se o mel com a água num tacho e deixa-se levantar fervura.

Reduz-se o calor e, com ajuda de 2 garfos compridos, passam-se as filhós pela a calda, ao mesmo tempo que se vão introduzindo em travessas ou panelas e polvilhando com açúcar e canela.

Pode omitir-se a calda. Ao contrário do que acontece habitualmente com os fritos, estas filhós ficam mais tenras à medida que os dias passam.

Sem comentários: