Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Petição NÃO HÁ EXTINÇÃO DA FREGUESIA DE BOGAS DE BAIXO

Petição NÃO HÁ EXTINÇÃO DA FREGUESIA DE BOGAS DE BAIXO


Petição NÃO HÁ EXTINÇÃO DA FREGUESIA DE BOGAS DE BAIXO

Para:Assembleia Municipal do Fundão; Grupos Parlamentares; Assembleia da República; UTRAT;

TEXTO INTRODUTÓRIO

Situada no extremo poente do Concelho do Fundão, a cerca de 45km da sede de concelho, a freguesia de Bogas de Baixo é contígua e faz limite a sul com a freguesia do Orvalho, concelho de Oleiros, numa linha imaginária de visos entre os geodésicos do monte Zibreiro, Açor e Penedo Mosqueiro, onde aqui se encontra um Parque de Merendas comum com a freguesia do Orvalho.
Descendo por este cume até à garganta do Rio Zêzere, na Foz de Bogas, todo este limite contíguo às duas freguesias é de aproximadamente 20km.
Bogas de Baixo faz ainda limite com a freguesia de Almaceda, concelho de Castelo Branco, numa extensão aproximada 2km.
A poente, com o Rio Zêzere e freguesia de Janeiro de Baixo, concelho da Pampilhosa da Serra, numa extensão aproximada de 3km.
A Norte, numa extensão aproximadamente de 8km, com a freguesia de Janeiro de Cima.
A nascente com a freguesia de Bogas de Cima, numa extensão aproximada de 8km.
Resultante deste espaço de limites, um rectângulo geográfico da freguesia de Bogas de Baixo com uma área aproximada de 34km2, onde bem ao centro se localiza a sede de freguesia e num raio de aproximadamente 3km, as anexas Maxial da Ladeira, Ladeira e Urgeiro, e ainda a sede de freguesia do Orvalho.
Toda a edificação se encontra em bom estado de conservação, estando bem visível o interesse de todos os compatriotas emigrantes que nos últimos 30 anos aqui aplicaram a sua poupança, fruto do seu trabalho, que querem gozar na sua reforma com nível de vida, dignidade e respeito, por parte de quem nos representa e governa.

BOGAS DE BAIXO

Tal como num ontem muito longínquo, que a partir de Bogas de Baixo os seus habitantes viram ameaçados os seus bens, a sua identidade e a sua história, saqueados pelas invasões francesas. Destacados patriotas não hesitaram, pondo a sua própria vida em risco, subiram até as planícies do monte Zibreiro, emboscaram e lutaram fazendo algumas baixas humanas e materiais a esta coluna de guarnição militar francesa. Nesta debandada e confronto, destacando-se o cavaleiro de Bogas de Baixo, o Capitão Carvalho, condecorado e galardoado com o Brasão de Armas, que ainda hoje é património e jóia da terra.

Hoje, com o texto que nos presentearam da “agregação das Freguesias de Bogas de Baixo a Bogas de Cima”, com quem temos apenas em comum o nome “Bogas” e limite parcial de território.
Ficamos ligados apenas pela estrada nacional e municipal com um traçado perverso e, tendo em conta as sedes de freguesia a uma distância respectivamente de 15 a 20km’s.
Só por esta distância há uma contradição ao preliminar “documento verde” que deu por base à discussão da Reorganização Administrativa do Território, agora fundido na Lei nº22/2012, onde nos querem incutir a agregação à freguesia de Bogas de Cima, não tendo em consideração as vertentes comuns às ditas populações e citando apenas o número de cidadãos e a acessibilidade.
O que neste item parece não prevalecer à sensatez da lei e referidos documentos, por quanto se utiliza no mesmo município uma medida e dois pesos; citamos como exemplo o mínimo de 150 habitantes para algumas freguesias e 500 habitantes para outras, como é o caso de Bogas de Baixo, que nesta base o referido Artigo nº 6 Alínea “c” se poderia aplicar a mais de 60% das restantes freguesias rurais do concelho do Fundão.
Contudo, e nesta como causa de fundo, está a relação comum dos dois povos, neste caso parecendo sobressair como receptora a freguesia de Bogas de Cima, que nada tem para oferecer à comunidade de Bogas de Baixo, apenas contratempos e complicação burocrática de gestão financeira e manutenção de património, saúde, higiene e salubridade publica.
Como é visível a olho nu, do património de Bogas de Baixo incluindo a gestão e manutenção de quatro cemitérios, caminhos rurais, vicinais e florestais, e acessibilidade às três anexas que compõem o tecido populacional urbano, destacamos todo o espaço público na sede de Freguesia, onde se situa a Igreja Matriz de S. Pedro, Casa Mortuária, Parque Infantil, Edifício da Junta de Freguesia, IPSS Centro de Dia e Lar em construção, Polidesportivo, Bar, Sanitários públicos, Piscina, Ajardinamentos, Parque de Estacionamento, Parque de Merendas – ligado pela paisagística Ponte do Covão sobre a Ribeira de Bogas. Todos estes equipamentos numa área contígua que ocupa mais de 30000 m2. Tendo ainda a capela de Nossa Senhora das Dores, Santuário de Jesus Adolescente, Largo de Festas, Bar e Sanitários que ocupa mais uma área aproximada de 3000 m2.
Sintetizando o património das anexas citamos:
Maxial da Ladeira: Igreja de Nossa Senhora da Saúde, Capela Mortuária, Lardo de Festas, Sanitários Públicos e Lavadouro, Edifício das Escolas Primárias – construções históricas do estado novo.
Ladeira: Capela de Nossa Senhora do Carmo, edifício para reuniões e eventos de construção em xisto, Edifício Comunitário equipado com todas as infra-estruturas cozinha e casa de banho.
Urgeiro: Capela antiga de São Mamede, Largo de Festas, Zonas Turísticas nas margens do Rio Zêzere, e ainda, no limite desta anexa, no Penedo Mosqueiro um deslumbrante Parque de Merendas, construído e protocolado pelas juntas de freguesia de Bogas de Baixo e Orvalho, e respectivamente pelas Câmaras Municipais Do Fundão e Oleiros.

Tudo o que atrás se referiu fica enquadrado numa área geográfica de rara beleza, num território de 34 km2, que requer muita exigência de gestão e manutenção, respeito pelos costumes tradicionais e sobretudo a vontade de todos os filhos e amigos desta terra tão hospedeira que jamais permitiram "intrusos" na sua gestão.

Reunimos os critérios necessários para manter a manutenção como freguesia.

A população reunida em plenário, comungando com todo este texto e manifesto junto da autarquia, pela manutenção de Bogas de Baixo como Freguesia, excluindo a hipótese de agregação a Bogas de Cima ou outra, sem que estejam garantidos os pressupostos já atrás referidos no texto de introdução.


Os signatários



Esta petição encontra-se alojada na internet no site Petição Publica que disponibiliza um serviço público gratuito para petições online.

2 comentários:

cristina simao disse...

Amigos ja todos assinaram a petiçao?...espero que sim,pois Bogas precisa de nos!
Vamos là ajudar as nossas gentes...

cristina simao disse...
Este comentário foi removido pelo autor.