Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




domingo, 25 de novembro de 2012

Estamos unidos na defesa da nossa Freguesia

As gentes da Freguesia de Bogas de Baixo estão todas e unissono na defesa da manutenção desta grande freguesia.

Onde raio é  estes inteligentes do deparatamento de Reorganização Administrativa do Território, se basearam para presentear as nossas gentes com a agregação de Bogas de Baixo a Bogas de Cima?
Esta gente denota não estar apta para assumir esta tarefa de agregar freguesias a seu bel prazer. 
São gente tecnocratas que sentados diante de uma secretária bem longe da realidade tomarem estas decisões.
Baseiam se em técnicas balofas sem sequer conhecerem o terreno. Para terem autoridade moral, na prespetiva de levar por  diante esta decisão, devem deslocar se ás regiões em causa, oscultar as populações, e fazerem um reconhecimento aos locais.
Se o fizessem, reconheceriam que o que agora se propõem fazer agregando Bogas de Baixo a Bogas de Cima, não tem razão de ser.

Uma panoramica de Bogas de Baixo e a sua ribeira

Igreja Matriz de S. Pedro, apresenta um interior sempre muito bem cuidado  com grandes relevos dourados



Casa mortuária

Como é visível a olho nu, do património de Bogas de Baixo incluindo a gestão e manutenção de quatro cemitérios, caminhos rurais, vicinais e florestais, e acessibilidade às três anexas que compõem o tecido populacional urbano, destacamos todo o espaço público na sede de Freguesia


Edificio da Junta de Freguesia  com WCs publicos 


 A antiga escola primária da aldeia, hoje tranformada em
Centro de Dia e Lar em construção
As pessoas mais idosas da nossa freguesia encontram aqui um grande apoio para a  sua solidão,
Com tratamento esmerado e refeições otimamente confeccionadas por profisionais da terra

Um belissimo parque infantil que não tendo muita utilidade no momento, é e será sempre um otimo local para a diversão dos filhos nossos emigrantes que no verão nos visitam ás centenas

 Um Polidesportivo devidamente equipado com bar e balnearios e serve para a pratica de varios desportos



A Piscina de construção recente já é pequena para as gentes que nos messes de julho, Agosto e Setembro se fixam a passar férias na nossa aldeia

Espaço de diversões nas festas em honra de Nossa Senhora das Dores e  Jesus adolescente que se realizam no verão sempre com uma grande participação das nossas gentes



Capela de nossa Senhora das Dores em dia de missa nas suas festas


Monumento a Jesus Adolescente  situado á entrada da povoação ladeado com um lindo jardim, com o olhar fixo na capela da Mãe das Dores situada no lado contrario do terreiro no monte do Outeiro

 


Parque de Estacionamento, Parque de Merendas – ligado pela paisagística Ponte do Covão sobre a Ribeira de Bogas.
no Penedo Mosqueiro um deslumbrante Parque, construído e protocolado pelas juntas de freguesia de Bogas de Baixo e Orvalho, e respectivamente pelas Câmaras Municipais Do Fundão e Oleiros.

Bogas de Baixo teve um papel de destaque aquando das invasões francesas, que foram combatidas com exito aqui no alto do cabeço Zibreiro, destacando-se o cavaleiro de Bogas de Baixo, o Capitão Carvalho, condecorado e galardoado com o Brasão de Armas, que ainda hoje é património e jóia da terra.



Ruas de facil circulação de pessoas e  veículos bem tratadas limpas e ajardinadas, são tambem hoje uma mais valia para a nossa aldeia, pese embora o facto de não ter neste momento 200 habitantes, tem no entanto uma enorme quantidade de  casas construidas com muito gosto, que estão ocupadas  no verão e se encontram sempre disponiveis para o regresso dos seus proprietários que aqui continuam a  querer passar os seus tempos de velhice, quando já não quiserem ou não possam ficar no estrangeiro onde se encontram, teem as suas casas á espera



Bogas de Baixo dispõe ainda nas suas anexas Maxial, Ladeira e  Urgeiro varias infraestruturas comunitárias como salas de convivio, Capelas, cemitérios, parques de jogos Casas de banho publicas etc etc

Igreja do Maxial da Ladeira e  a seguir uma panoramica da aldeia


Um belissimo e confortante espaço comunitário na Ladeira de Nossa Senhora do Carmo,pronto para servir refeições e Centro de Dia para a terceira idade



esta é uma panoramica da pequena aldeia do Urjeiro tambem anexa da freguesia de Bogas de Baixo

Por tudo  o que atrás ficou exposto, é concerteza uma terra que fica enquadrado numa área geográfica de rara beleza, num território de 34 km2, que requer muita exigência de gestão e manutenção, respeito pelos costumes tradicionais e sobretudo a vontade de todos os filhos e amigos desta terra tão hospedeira que jamais permitiram "intrusos" na sua gestão
 As nosass gentes apenas querem que se faça justiça, e numa derradeira hipótese seria muito mais eficaz a agregação com Janeiro de Cima cujos povos teem muito mais afinidades que construiram ao longo dos tempos

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Petição NÃO HÁ EXTINÇÃO DA FREGUESIA DE BOGAS DE BAIXO

Petição NÃO HÁ EXTINÇÃO DA FREGUESIA DE BOGAS DE BAIXO


Petição NÃO HÁ EXTINÇÃO DA FREGUESIA DE BOGAS DE BAIXO

Para:Assembleia Municipal do Fundão; Grupos Parlamentares; Assembleia da República; UTRAT;

TEXTO INTRODUTÓRIO

Situada no extremo poente do Concelho do Fundão, a cerca de 45km da sede de concelho, a freguesia de Bogas de Baixo é contígua e faz limite a sul com a freguesia do Orvalho, concelho de Oleiros, numa linha imaginária de visos entre os geodésicos do monte Zibreiro, Açor e Penedo Mosqueiro, onde aqui se encontra um Parque de Merendas comum com a freguesia do Orvalho.
Descendo por este cume até à garganta do Rio Zêzere, na Foz de Bogas, todo este limite contíguo às duas freguesias é de aproximadamente 20km.
Bogas de Baixo faz ainda limite com a freguesia de Almaceda, concelho de Castelo Branco, numa extensão aproximada 2km.
A poente, com o Rio Zêzere e freguesia de Janeiro de Baixo, concelho da Pampilhosa da Serra, numa extensão aproximada de 3km.
A Norte, numa extensão aproximadamente de 8km, com a freguesia de Janeiro de Cima.
A nascente com a freguesia de Bogas de Cima, numa extensão aproximada de 8km.
Resultante deste espaço de limites, um rectângulo geográfico da freguesia de Bogas de Baixo com uma área aproximada de 34km2, onde bem ao centro se localiza a sede de freguesia e num raio de aproximadamente 3km, as anexas Maxial da Ladeira, Ladeira e Urgeiro, e ainda a sede de freguesia do Orvalho.
Toda a edificação se encontra em bom estado de conservação, estando bem visível o interesse de todos os compatriotas emigrantes que nos últimos 30 anos aqui aplicaram a sua poupança, fruto do seu trabalho, que querem gozar na sua reforma com nível de vida, dignidade e respeito, por parte de quem nos representa e governa.

BOGAS DE BAIXO

Tal como num ontem muito longínquo, que a partir de Bogas de Baixo os seus habitantes viram ameaçados os seus bens, a sua identidade e a sua história, saqueados pelas invasões francesas. Destacados patriotas não hesitaram, pondo a sua própria vida em risco, subiram até as planícies do monte Zibreiro, emboscaram e lutaram fazendo algumas baixas humanas e materiais a esta coluna de guarnição militar francesa. Nesta debandada e confronto, destacando-se o cavaleiro de Bogas de Baixo, o Capitão Carvalho, condecorado e galardoado com o Brasão de Armas, que ainda hoje é património e jóia da terra.

Hoje, com o texto que nos presentearam da “agregação das Freguesias de Bogas de Baixo a Bogas de Cima”, com quem temos apenas em comum o nome “Bogas” e limite parcial de território.
Ficamos ligados apenas pela estrada nacional e municipal com um traçado perverso e, tendo em conta as sedes de freguesia a uma distância respectivamente de 15 a 20km’s.
Só por esta distância há uma contradição ao preliminar “documento verde” que deu por base à discussão da Reorganização Administrativa do Território, agora fundido na Lei nº22/2012, onde nos querem incutir a agregação à freguesia de Bogas de Cima, não tendo em consideração as vertentes comuns às ditas populações e citando apenas o número de cidadãos e a acessibilidade.
O que neste item parece não prevalecer à sensatez da lei e referidos documentos, por quanto se utiliza no mesmo município uma medida e dois pesos; citamos como exemplo o mínimo de 150 habitantes para algumas freguesias e 500 habitantes para outras, como é o caso de Bogas de Baixo, que nesta base o referido Artigo nº 6 Alínea “c” se poderia aplicar a mais de 60% das restantes freguesias rurais do concelho do Fundão.
Contudo, e nesta como causa de fundo, está a relação comum dos dois povos, neste caso parecendo sobressair como receptora a freguesia de Bogas de Cima, que nada tem para oferecer à comunidade de Bogas de Baixo, apenas contratempos e complicação burocrática de gestão financeira e manutenção de património, saúde, higiene e salubridade publica.
Como é visível a olho nu, do património de Bogas de Baixo incluindo a gestão e manutenção de quatro cemitérios, caminhos rurais, vicinais e florestais, e acessibilidade às três anexas que compõem o tecido populacional urbano, destacamos todo o espaço público na sede de Freguesia, onde se situa a Igreja Matriz de S. Pedro, Casa Mortuária, Parque Infantil, Edifício da Junta de Freguesia, IPSS Centro de Dia e Lar em construção, Polidesportivo, Bar, Sanitários públicos, Piscina, Ajardinamentos, Parque de Estacionamento, Parque de Merendas – ligado pela paisagística Ponte do Covão sobre a Ribeira de Bogas. Todos estes equipamentos numa área contígua que ocupa mais de 30000 m2. Tendo ainda a capela de Nossa Senhora das Dores, Santuário de Jesus Adolescente, Largo de Festas, Bar e Sanitários que ocupa mais uma área aproximada de 3000 m2.
Sintetizando o património das anexas citamos:
Maxial da Ladeira: Igreja de Nossa Senhora da Saúde, Capela Mortuária, Lardo de Festas, Sanitários Públicos e Lavadouro, Edifício das Escolas Primárias – construções históricas do estado novo.
Ladeira: Capela de Nossa Senhora do Carmo, edifício para reuniões e eventos de construção em xisto, Edifício Comunitário equipado com todas as infra-estruturas cozinha e casa de banho.
Urgeiro: Capela antiga de São Mamede, Largo de Festas, Zonas Turísticas nas margens do Rio Zêzere, e ainda, no limite desta anexa, no Penedo Mosqueiro um deslumbrante Parque de Merendas, construído e protocolado pelas juntas de freguesia de Bogas de Baixo e Orvalho, e respectivamente pelas Câmaras Municipais Do Fundão e Oleiros.

Tudo o que atrás se referiu fica enquadrado numa área geográfica de rara beleza, num território de 34 km2, que requer muita exigência de gestão e manutenção, respeito pelos costumes tradicionais e sobretudo a vontade de todos os filhos e amigos desta terra tão hospedeira que jamais permitiram "intrusos" na sua gestão.

Reunimos os critérios necessários para manter a manutenção como freguesia.

A população reunida em plenário, comungando com todo este texto e manifesto junto da autarquia, pela manutenção de Bogas de Baixo como Freguesia, excluindo a hipótese de agregação a Bogas de Cima ou outra, sem que estejam garantidos os pressupostos já atrás referidos no texto de introdução.


Os signatários



Esta petição encontra-se alojada na internet no site Petição Publica que disponibiliza um serviço público gratuito para petições online.

domingo, 18 de novembro de 2012

Lutemos pela manutenção da Freguesia de Bogas de Baixo


Sabemos que as populações residentes nas freguesias com mandato desta espécie de governo quer extinguir, estão fazendo todos os possiveis para que esta lei não avance, valendo se de todas as armas ao seu alcance,
Marchas lentas nas ruas ou estradas do concelho, manifestações nas Assembleias de Freguesia, e tambem em frente ás suas camaras municipais
No caso  da nossa freguesia de Bogas de Baixo, a ir por  diante este projeto. algumas populações da freguesia, iriam ficar distanciadas em aproximadadamente 30 Kms
Veja se por exemplo a  distancia entre o Urgeiro-Bogas de Baixo e os Boxinos-Bogas de Cima.
Era bom que todos estivessem unidos, seja  qual for  a  sua cor politica em defesa da manutenção das nossas freguesias
Tal como  o Jornal do Fundão escreve numa das suas páginas, parece nos que isto traz alguma agua no bico
E este governo tem uma grande apetencia para tramar o Zé povinho

A COMISSÃO Política do PS repudia em comunicado a proposta da Unidade Técnica que propõe a extinção de oito freguesias no concelho do Fundão,” num claro desrespeito pelas populações, pelas autarcas e pela Assembleia Municipal”. Criticam a proposta de lei do governo que define um  novo nível de administração pública, de carácter intermunicipal e que “fará nascer 100 jobs, devidamente remunerados (4 mil euros líquidos para a figura principal da comissão executiva metropolitana ou intermunicipal e os restantes membros com salários idênticos aos de um vereador a tempo inteiro).
                    (jornal do Fundão)
O Ecos da Aldeia aqui estará sempre á disposição do povo para lutar pela nossa freguesia  Bogas de Baixo

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

O Governo quer. o povo recusa

O Governo prepara se para mais uma afronta aos portugueses


A lei da extinção de freguesias é uma lei aprovada pelos partidos da maioria no Parlamento - PSD e CDS-PP - que prevê uma restruturação do poder local em prol da poupança e da eficácia de serviços. Esta restruturação passa pela extinção/agregação/fusão de mais de miJuntas de Freguesia. A oposição - PS, PCP e BE - votaram contra esta lei de extinção de freguesias.
Bogas de Baixo está e luta
Todos os que puderem juntar se  a esta forma de luta democrática devem faze lo

Como podemos ver pela imagem, em Bogas de Baixo, terá lugar no proximo sábado dia 17 uma manisfetação junto  ao edificio da Assembleia de Freguesia 


 uma manisfestação em prol da defesa da nossa Freguesia que ocupa um vasto território nesta zona do concelho do Fundão com as  suas anexas  LLadeira de Nossa Senhora do Carmo; Maxial e Urgeiro, 
Note se  que a nossa freguesia faz  fronteira com tres concelhos , Oleiros, Pampilhosa da Serra  e  Castelo Branco

Não creio que Bogas de Baixo esteja na lista de freguesias a  abater, convem no entanto estarmos atentos
Segundo a  Online24

Para além da oposição partidária, também a ANAFRE está contra esta decisão do Governo de fundir freguesias. Recentemente, a ANAFRE realizou um estudo técnico-contabilístico relativo a estas medidas, que apontou para uma poupança de apenas 6,5 milhões de euros como resultado da extinção de freguesias.

O presidente da ANAFRE, Armando Vieira, tem vindo a alertar o Governo de que esta poupança não contabiliza os prejuízos de danos colaterais à reorganização territorial. Armando Vieira considera também que a poupança não justifica toda a contestação e pressão social que a lei veio causar.

As instituições de solidariedade social e misericórdia temem ainda que a fusão de freguesias condicione o apoio à intervenção social e aumente a desertificação.

Os protestos já se fizeram ouvir. Autarcas e populares protestaram no dia 31 de Março contra estas medidas, numa manifestação organizada pela ANAFRE em Lisboa. A próxima contestação está agendada para dia 22 de Setembro, no Porto. A decisão surgiu de uma reunião feita pela Plataforma Nacional Contra a Extinção de Freguesias, em Gondomar..

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

30º Encontro dos Beirões do Oeste

A Lareira

Vai ser neste bonito salão do restaurante a Lareira em Caldas da Rainha que irá ser servido aos berões residentes no Oeste e não só um suculento repasto com iguarias da Beira
A noticia vem nas paginas do Jornal do Fundão e do Jornal das Caldas desta semana
Já fiz parte de grupos em convivio neste restaurante situado á saida de Caldas da Rainha na estrada que vai para Foz do Arelho.
Este restaurante está mesmo vocacionado para receber grupos numerosos especialmente de antigos militares   
que prestaram serviço nas antigas colónias em Africa
Está é uma imagem que eu recordo desse restaurante e depois fizemos uma vizita a Óbidos ali mesmo ao lado onde um antigo camarada de armas o Coronel carlos Lopes se dedica tambem em parte á hotelaria
Bebemos umas ginginhas, provámos o espectacular chocolate de Óbidos
A Lareira
                                                                     (foto igogo)

Será então neste  local que se irão reunir os beirões que queiram e possam comparecer no próximo dia 17 de Novembro
Muitos conterraneos nossos inclusivamente da minha aldeia Bogas de Baixo, vivem na zona Oeste numa extensão que vai de Leiria até Mafra
O objectivo destes encontros é sempre reunir o maior numero de beirões aqui residentes e não só, para rever velhos amigos, conviver e passar um dia diferente
Os participantes, podem contar com uma ementa repleta de bons sabores das mais apetitosas iguarias beirãs
Estou muito longe e não posso ir, mas quando vivi na região Oeste  visitei varias vezes a Lareira em dias de convivencia entre amigos

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Coração da Cova da Beira

Photobucket




Esta lindissima paisagem  captada do meio de um cerejal na serra da gardunha, mostra nos todo este imenso vale entre a gardunha e a estrela considerado o coração da Cova da Beira
Avistando se para alem de localidades como Aldeia de Joanes, Dominguiso, Tortosendo etc , a linda serra da estrela mostrando nos já  um manto de neve na zona da torre


quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Descoberto situada a meio da montanha


 Descoberto é uma aldeia da Freguesia de Bogas de  Cima
Concelho do Fundão
Distrito de Castelo Branco


Fotografia

Tambem ela á semelhança de quase todas as aldeias da nossa região, fica
situada das abas da Serra da Gardunha no meio de uma paisagem deslumbrante
Já no meu tempo de  criança se dizia na minha aldeia, Bogas de Baixo, que quando
chovia no Descoberto crescia a ribeira de  Bogas

E isto era pura verdade por  dois motivos distintos , o primeiro é quando chove  a ceu aberto
o que significa  o mesmo que chover a descoberto, e por esse motivo crescem as ribeiras e  os rios
Quando neste caso chovia no Descoberto, como fica num ponto mais  alto que  a minha aldeia,
 se dizia que a ribeira de Bogas crescia
A ribeira de Bogas nasce realmente aqui para as bandas do Descoberto e dos Boxinos, uma outra aldeia da freguesia que publicarei em breve



Sobre o  Descoberto pouco mais terei para escrever a  não ser que por cá tenho passado
muitas vezes sempre com muito prazer.
ja que por aqui continuamos a poder respirar ar puro, deslumbrar a vista com extraordinárias paisagens onde predominam as flores silvestres que nos proporcionam um aroma muito bom e muito particularmente o estômago com os saborosos petiscos que estas gentes tão bem sabem cofecionar

Por exemplo no Café Palmeira e no Café Restaurante Chafariz onde podemos pedir para nos servirem, Maranho, chanfana e outros pratos tradicionais de confecção caseira.
Tenho familia oriunda do Descoberto, e  muitos amigos
Capela do Descoberto
Normalmente é sempre a meio do mês de Agosto que se realizam aqui no Descoberto, as festas em honra da Imaculada Conceição
O Descoberto como as aldeias vizinhas fica muito despovoado durante o ano inteiro
já que as suas gentes emigraram para diversos locais  em Portugal e no Estrangeiro, 
simplesmente porque aqui não há trabalho e  a vida se torna dificil




Olha aqui os meus primos  Silva e José André!!!!!!!!!!!!!!!!!
da Ladeira evidentemente
Fotografia


Nos dois meses Julho e Agosto a  terra fica completamente cheia de descobertenses que
optam por vir passar férias á sua aldeia

Desafio as gentes do Descoberto que terão muito mais a dizer sobre a sua aldeia, deixem aqui os vossos comentários e  algumas emendas se  for o caso
Falem da vossa aldeia

PS:  a titulo de correção aqui deixo o comentário de um amigo


Bom dia amigo Luis, tudo o que diz do Desberto está certo, embora as gentes do descoberto possam confirmar com mais conhecimento de causa. No entanto uma pequena correção. A festa que é celebrada no dia 15 de Agosto de todos os anos, é, não em louvor da Imaculada Conceição, mas de Santa Barbara, a padroeira dos mineiros e protectora nas trovoadas.
Um abraço

Obrigado amigo
abraço

Afinal amigo Zero,  nem eu nem o meu amigo temos razão
afinal a Iria Gonçalves informou me que a festa é em honra de Nossa Senhora do Desterro
Aqui fica a correção e os agradecimentos á nossa amiga Iria Gonçalves