Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




quinta-feira, 19 de maio de 2011

A notícia em redor da nossa aldeia

Segundo o Jornal do Fundão, este ano o nosso Distrito não vai poder contar com alguns importantes meios aéreos para o combate a incêndios, pelo que é mais uma forte razão para que todos tomemos os nescessários cuidados para que esta calamidade seja reduzida.


Vamos apenas poder contar com três helicópteros, dois ligeiros e um médio que ficarão instalados em Castelo Branco, Proença a Nova e Covilhã.


Vai realizar se um Encontro Nacional de Caminheiros (Passeios pela Gardunha),que segundo o Presidente da Direcção dos Caminheiros da Gardunha Eduardo Saraiva, vão participar neste evento que se realiza dia 22 de Maio, caminheiros de Guimarães, Santarem, Tomar, Oeiras, Porto, Coimbra e Castelo Branco. Um Passeio pelos cerejais


Neste evento que tem um programa aliciante vão participar pessoas dos 20 aos 60 anos. A caminhada começa na serra do cavalinho, passa pelo Vale do Alcambar seguindo depois pelos montes de S. Gens e de S Roque terminando na Senhora do Souto nas - Donas onde se realizará um almoço convivio.
A Cova da Beira exporta cerejas para o Brasil e Finlândia.
As cerejas da Cova da Beira fazem há 3 anos as delicias nas mesas dos Holandeses, Finlandeses e Brasileiros


Um pouco por toda a região as cerejas são produzidas em maior ou menos escala.
Em muitos locais da Serra da Gardunha onde antes só havia pinhal, mato e silvados, as cerejeiras multiplicam se em centenas de hectares
Nas suas encostas entre a Enxabarda e o Açor, a produção desta deliciosa de fruta tem vindo a crescer considerávelmente pela atração de novos produtores atraidos por um negócio que é dos mais importantes na economia regional.

A Cova da Beira torna se ainda mais vistosa e apetecida no tempo que decorre entre a floração das cerejeiras até á apanha vermelhinhas em cima das arvores.

Realizaram se no ultimo fim de semana no Alcaide as festas em honra de S Macário tambem ele com a sua capela rodeada de grandes pomares de cereja. Abrilhantou a festa a Banda Filarmónica de Aldeia Nova do Cabo. Realiza se sempre anualmente uma linda procissão desde a aldeia do Alcaide até ao cabeço de S Macário onde se situa a sua capela.

No dia 8 deste mês de Maio, realizou se em Oleiros a 6ª Mostra de Sopas Tradicionais do Mosteiro e em simultaneo realizou se tambem o 4º Festival de acordeons promovido pelo Grupo Maltez de Mosteiro. Neste evento foi cabeça de cartaz a nossa conterrânea Eugénia Lima que com a sua bonita idade (85 anos) ainda faz falar o acordeão

Nasceu em Castelo Branco, em Abril de 1926. Diplomada com o Curso Superior de Acordeão na categoria de Professora pelo Conservatório de Acordeão de Paris.
Iniciou-se no Teatro Vaz Preto, em Castelo Branco, aos quatro anos de idade. O ciclo de actuações por toda a Beira Baixa valeu-lhe o epíteto de "Miúda de Castelo Branco".

Algumas destas noticias teem a assinatura da nossa conterrânea Lucia Reis no Jornal do Fundão

1 comentário:

Anónimo disse...

Olá Sr. Luis a sua postagem é simplesmente espetacular. Quando fala de cereijas até cresce a água na boca e fala da nossa regiao; mas quando fala de acordeon é da nossa terra. Gostei de ver a foto da Eugénia Lima, pois é verdade que ela nasceu em Castelo Branco mas a mae era do MAXIAL irma do meu avô paterno e o pai dela era de Bogas de Cima como se percebe ela tem as raízes na nossa freguesia e continua a ter familiares no MAXIAL terra que ela visitou muitas vezes qundo era mais nova.
Os Meus Cumprimentos
Mário Martins