Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




terça-feira, 15 de março de 2011

Mistérios da Gardunha

Há mistérios nas noites da Gardunha



Lembrei me hoje de ter visto no Jornal do Fundão numa edição de Julho de 2010 uma noticia sobre os Mistérios das noites na Gardunha, isto porque um amigo meu esteve um dia destes a conversar comigo sobre testemunhos próprios do que tambem já viu nas noites da Gardunha
Tambem dois jovens com as suas raizes em povoações da Gardunha encetaram um trabalho em que recolheram testemunhos de viva voz de algumas lendas da Gardunha, seleccionando quatro delas que querem passar para a tela.
Vou transcrever aqui apenas uma delas oriunda do Casal da Serra
há muitos anos um senhor que vinha do povo mas para umas casas mais retiradas a que se chama Patã, isto já passava da meia-noite. Atão, ele tinha uma cunhada que estava de bebé e viu atrás dele no caminho, uma mulher vestida de preto. Havia cá uma senhora curiosa que fazia partos e andava sempre vestida de luto e pensou ele: “Vem aí a ti Mari Rosa e espero por ela”. Mas quando a mulher se vinha aproximando, viu que a mulher tinha altura demasiada para aquela que ele estava à espera. Ele então começou a andar depressa, estugou o passo para ir para casa dele. A sorte dele foi que a mulher, tinha a porta ao trinco e foi o que lhe valeu, que ele abriu a porta de repente, entrou e nisto que a mulher lhe perguntou: «Jaquim, óh Jaquim o que é que tu tens?» Ele que nem fala deu, foi-se a meter no quarto. De lá, ele olhou pela janela e viu essa dita mulher, vestida de preto, com uma altura enorme no muro de um curral, que tinha atrás da casa em cima de uma pedra redondinha, que ninguém se conseguia lá suster em cima, a bater-lhe as palmas. Ele, cheio de medo, não saiu de casa nos três dias seguintes e não queria contar a história a ninguém, mas um dia não se conteve e contou…”
Eu sei que em outras localidades da Gardunha há muitas mais histórias parecidas ou não com esta que as pessoas guardam lá no fundo do Baú e que a partir de agora podem partilhar nesta página

Casos que foram noticia

Apareceu uma luz branca, forte, incandescente que foi ficando cada vez maior, começando, depois, a aparecer uma espécie de tentáculos”, dizem acrescentando que logo a seguir viram, nessas ‘pontas’, surgirem umas luzes, azuis e vermelhas, em forma de triângulo.


O fenómeno (…) foi também observado por um grupo de familiares e amigos, a partir de uma quinta em Alcains, junto à Estrada Nacional 18. Ao ver o que se passava no céu, na direcção da Póvoa de Rio de Moinhos (…).

Vi um ponto luminoso, situado na vertical, que se movimentava devagar em várias direcções”.(…) “Não podia ser um planeta, porque movimentava-se. Não era uma estrela, porque não cintilava. E não podia ser um avião, porque se movimentava em várias direcções, para cima e para baixo”. (…) “ainda esteve algum tempo fixo no mesmo ponto e depois desapareceu no céu”. Acrescenta ainda que há alguns anos, quando foi inaugurado o novo Largo da Devesa em Castelo Branco, avistou um fenómeno semelhante




Contem as vossas histórias e lendas sobre as noites misteriosas da Gardunha

4 comentários:

Anónimo disse...

Caro Amigo Luis depois de duas semanas dedicado á agricultura no meu Goulinho cá estou de novo no bulicio da cidade.
Sobre a sua postagem nas nossas aldeias á sempre da parte das pessoas meis velhas grandes histórias umas com alguma doze de verdade outras menos verdadeiras mas tudo isto faz parte do imaginário do nosso povo beirão.
Um abraço amigo
Antonio Assunção

Voz do Goulinho
ALA Poemas

Lourdes disse...

Luís
O seu post fez-me recordar os serões à lareira em casa dos meus avós. Havia sempre estórias parecidas com a sua primeira, outras de bruxas e lobisomens que muitas insónias me provocaram. Hoje adoro recordar...
Beijos
Lourdes

Joaquim Angelo disse...

Na minha aldeia havia um senhor para mim idoso já naquele tempo que diziam ser lobisomem..Nos miúdos na época,nas noites de verão sentados as portas horas de uns hora de outros ouvi-amos com muita atenção as histórias que os mais velhos nos cotavam!.Os lobisomem corriam pela noite dentro transformados em cavalos e dando coiço nas portas;Seria mesmo assim?..

Luis Antunes disse...

Pois bem Amigos
Havia coisas extraordinárias que segundo contava o meu avô aconteciam ali para as bandas do penedo do Barroco que fica situado perto de Bogas de Baixo, Bogas do Meio, Dornelas e Carregal Para além doutras histórias o meu avô disse qeu chegou a ver naquela zona quando fazia o trajecto no seu cavalo entre Bogas e FUndão, um caixão com 4 rodas e outras tantas velas acesas e de lá d e dentro ouvia a voz do padre Gregório segundo me consta era do Carregal