quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Uma forma de vida


Uma pequena históriaUm modo de vida familiar e colectivo que, apesar do aparecimento de uma panóplia de electrodomésticos, conserva ainda muito de remoto
Bem se poderia aplicar esta história ás formas de vida de muita gente das nossas aldeias





Esta história que passou num ecrã de uma sala de cinema lisboeta,é o oposto total daqueles filmes que são fabricados com uma faixa demográfica jovem em mente. Dascalescu pediu licença a um casal de idosos, Constantin e Elena, casados há mais de meio século, e que vivem numa aldeia do nordeste da Roménia, para que a sua câmara passasse a fazer parte do quotidiano deles durante um ano. E assim registou a existência modesta mas alegre do sorridente casal, entre os trabalhos da casa e do campo, as visitas dos bisnetos, as conversas com o correio que traz as reformas e o jornal, os achaques ocasionais e os pequenos acontecimentos da aldeia. É um modo de vida familiar e colectivo que, apesar da omnipresença da televisão, dos electrodomésticos, dos auto- móveis e dos postes de electricidade, conserva ainda muito de remoto e de profundamente tradicional, nos tapetes que Elena faz em casa no tear da família e nas canções que canta à neta e à bisneta ainda bebé, na forma como Constantin cultiva a terra, nos costumes da aldeia na Páscoa ou no enterro de um dos habitantes. E que se sente que passará para semp
re, à medida que a geração dos dois velhotes retratados for desaparecendo.

Gostei deste documentário porque tal como nessa aldeia romena tambem nas nossas aldeias podemos encontrar alguns casais identicos