Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




sábado, 28 de novembro de 2009

Teatro Amador

Noticia retirada do Site Centro de Portugal
è para mim uma espécie de obrigação divulgar estas noticias pelo seu cariz cultural numa área que já nos habituámos a ver distante da nossa região da nossa terra

28/11 a 20/12 - Festival de TeatrAmador 2009

Começa portanto hoje e estende se até dia 20 do próximo mês este festival de Teatro Amador no nosso visinho concelho de Idanha a Nova
Clique na imagem para ver a programação

Começa hoje o Festival de TeatrAmador 2009, organizado pela Associação de Juventude de Idanha-a-Nova - AJIDANHA. Não perca!

domingo, 22 de novembro de 2009

Os Mordomos para 2010

Photobucket

Já mostrei noutra potagem anterior as listas de mordomos para as festas de Nossa Senhora das Dores e Jesus Adolescente
Hoje repito a publicação da lista da festa de Nossa Senhora das Dores apenas para por uma questão aos membros desta lista
Por acaso não vos irá fazer falta as mãos femininas na ajuda a levar este evento para a frente ainda com mais vistosidade?
Será que em Bogas não haveria raparigas que estivessem á espera de ser convidadas?
A comissão a Jesus Adolescente não deixaram essa hipótese por mãos alheias e vai disto lá teem duas moças a fazer lhes companhia e a prestar a ajuda nescessária

Se calhar Nossa Senhora das Dores iria gostar de ver alguem do sexo femenino a atratar da sua festa.... digo eu... não sei

terça-feira, 17 de novembro de 2009

O Direito á indignação


Não podia deixar de expressar alguma indignação pelo que se passa na Camara do Fundão
Li na imprensa que o Presidente da Camara nomeou todos os eleitos do seu partido como vereadores a tempo inteiro
Ou melhor 3 a tempo inteiro e 1 a meio tempo
Quando a lei permite ao Fundão apenas 2 vereadores a tempo inteiro
porque é da lei e do sistema político português, que define como máximo o limite de 2 vereadores a tempo inteiro. O limite máximo está na lei definido para os concelhos com 20.000 a 100.000 eleitores, sendo que o concelho do Fundão tem cerca de 30.000.

Felizmente que o PSD não conseguiu eleger mais vereadores se não lá teriamos a camara com um presidenrte um vice presidente e mais 5 veradores a tempo inteitro
e quem paga estes salários? que por sinal não são assim tão baixos? (são, no mínimo, mais € 75.000,00 anuais que o Município poderia canalizar para a criação de meia dúzia de empregos e o apoio à acção social, duas prioridades máximas do concelho.)

Quem vai pagar é o Zé Povinho
Embora esse mesmo Zé povinho tenha votado em massa para que esta situação aconteça, mas há os inocentes, aqueles que não queriam este despesismo e teem que pagar pela mesma moeda


Na primeira reunião da camara o vereador Socialista Leal Salvado, fez ver ao Presidente esta situação que a lei nem sequer permite mas quem pod e manda e neste caso quem manda é o presidente nem que para isso tenha que deturpar a lei

Manuel Frexes respondeu que o limite de 2 vereadores é o limite mínimo e concluiu afirmando que a designação dos vereadores a tempo inteiro é uma prerrogativa do presidente.

Leal Salvado desmentiu o presidente lendo o texto da lei, que dispõe 2 vereadores como limite máximo. Corrigiu o presidente, novamente em presença do texto da lei, lembrando que a competência para aumentar o limite máximo de vereadores (em casos excepcionais) é da Câmara Municipal e não do seu presidente.

Pressupondo que os vereadores a tempo inteiro seriam o nº 2 Paulo Fernandes e o nº 3 Alcina Cerdeira, Leal Salvado dirigiu-se aos vereadores Miguel Gavinhos e Jorge Garcês, exortando-os a dedicarem-se ao concelho sem a necessidade de serem remunerados extraordinariamente – uma vez que o vereador Miguel é funcionário da Câmara Municipal e o vereador Jorge está em vias de exercer profissão liberal, o que lhes permite acompanhar de perto os assuntos do Município.

Miguel Gavinhos respondeu que o Município não gastará mais com a sua remuneração de vereador, porque já faz actualmente a despesa com o seu vencimento de funcionário. Perguntado por Leal Salvado se o lugar que actualmente ocupa será extinto, o vereador Gavinhos não respondeu.

Enfrentando Leal Salvado, o presidente afirmou: “se quiser discutir questões legais, agora vamos entrar na votação”. E assim foi: a proposta de presidente mais 4 vereadores em permanência foi posta a votação – e aprovada com os votos favoráveis dos vereadores do PSD e o voto contra dos eleitos pelo
noticia tirada de Fundão Sempre

domingo, 15 de novembro de 2009

Ordem do dia

Casas Temáticas revelam modos de vida do pinhal interior
Cogumelos, mel e linho são produtos que têm marcado a vida das gentes da Beira Interior, da florestal de pinhal.
Na zona das Aldeias do Xisto, antigas casas deram lugar a espaços de conhecimento, relacionados com cada modo de vida.
A Associação de Desenvolvimento Local Pinus Verde empreendeu o projecto bem acolhido pelas populações.
Casas Temáticas com vida, onde o visitante conhece e experimenta tocar bombos, tecer o linho, colher cogumelos e fazer mel.
Sara Pelicano
quarta-feira, 9 de Setembro de 2009




A este propósito conversei há dias com um amigo e conterraneo que tambem ele como qualquer um de nós está interessado no progresso da nossa aldeia Bogas de Baixo
João Gama
Agora estou agarrado a assuntos da Pinus Verde
Luis
Isso é uma das coisas que me interessa discutir,
por ser uma associação que se interessa pelo desenvolvimento da nossa vida rural
Aliás já em tempos escrevi sobre a Pinus Verde
João Gama
Tem efctivamente muito trabalho desenvolvido no território
Mas afastou-se
Neste momento estamos à procura de soluções para voltar ao território
As aldeias do xisto foram o projecto que nos afastaram do território e que tornou a nossa estrutura demasiado pesada
Luis
Espero que continuem a zelar pelo bem estar da nossa região
No que diz respeito ás aldeias de xisto sempre achei Bogas muito votada ao esquecimento
João Gama
Neste momento a ADXISTUR tomou conta das aldeias do xisto e nós estamos a ver se nos concentramos, novamente na floresta, e nos seus usos multiplos, que empreguem as pessoas da região.
Bogas Baixo foi completamente esquecida das aldeias do xisto
Luis
Acho que tinha algo mais para a projectar a par das terras vizinhas
João Gama
em parte porque as pessoas que têm influência nas decisões não concordaram com os projectos definidos para a nossa freguesia
No entanto as oportunidades continuam lá
Luis
e eu acho que se deviam aproveitar
não é só construir casas bonitas para estarem o ano inteiro desabitadas
há outras coisas interessantes para projectar uma aldeia e fazer com que ela apareça no mapa das terras em desenvolvimento
João Gama
Temos que repensar a floresta, repovoar os campos com gado caprino, claro que em moldes diferentes dos empregues há 20 ou 30 anos, temos que rentabilizar a apicultura. A freguesia de Bogas Baixo ainda tem poucos eucliptos que desvirtuem o mel, etc, etc

Luis
Caro João ficamos hoje por aqui, mas estes assuntos teem pano para mangas. Pelo que conto em breve voltar ao tema e escrever mais sobre as potencialidades da nossa terra

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Festas de Verão para 2010

AS festas de verão em Bogas de Baixo em Louvor de Nossa Senhora das Dores e de Jesus Adolescente, já teem mordomos para o proximo ano (2010)
Assim sendo esperemos que estes elementos comecem já a planear uns festejos de luz cor e devertimento para as gentes da nossa terra e seus visitantes
Acho que estas comissões já instaladas, podiam fazer com que muita gente começasse já a oferecer alguns valores para ajudar a trazer a Bogas um artista de renome capaz de atrair á nossa Aldeia muita gente das redondezas
Já pensaram nisso?





terça-feira, 10 de novembro de 2009

Dia de São Martinho


A festa de São Martinho é ainda o simbolo das ruralidades
Pois o S Martinho consagra o final do amanho das terras e das colheitas
Embora o Mundo rural de hoje já não seja igual ao de antigamente, ainda assim o São Martinho veio para ficar e ficou mesmo.
O S Martinho é altura para se confarternizar nas adegas á volta do vinho e da agua pé, acompanhados de saborosas castanhas assadas
Há ainda hoje quem fale muito do Verão de S Martinho.
Há quem repita vezes sem conta o dito popular No dia de S Martinho vai á adega e prova o vinho.
Mas o S Martinho está ainda associado á matança do porco
Antigamente quando cá na aldeia ainda havia a matança do porco, era normalmente feita por alturas do S Martinho.
Hoje essa tradição não existe mais
Acabaram com a festa da matança do porco
Aqui em Bogas as castanhas de S Martinho estão tambem associadas à Junta de Freguesia que tem por habito antecipar a festa para o dia 1 de Novembro realizando o seu magusto comunitário, como aconteceu no passado dia 1 por sinal com muita participação popular

domingo, 8 de novembro de 2009

Artes antigas

Tempos que passaram,
costumes que perduram
e imagens que nos fazem recordar o que d'antes era normal e hoje nos causam admiração e nostalgia

Imagens como esta era normal vermos em Bogas de Baixo , quando o Ti Zé Ferreiro se dedicava a ferrar os animais de lavoura
primeiro num troco existente aí nas oliveiras e mais tarde na sua propria oficina
Esta é me particularmente grata, porque me faz lembrar os momentos que eu passava junto do ti Manuel Belchior a fabricar o meu Pião no seu velho torno
Esta recorda me a loja do Sr Anibal onde havia de tudo o que a população de uma aldeia como Bogas normalmente nescessitava.
Além de gostar de o ouvir ali nas horas vagas a tirar do seu Bombardino, os sons melodiosos para construir mais uma nova partitura que depois ia ensaiar na nossa banda Filarmónica onde eu tambem me incluia
Aqui lembra me uma qualquer mulher da nossa aldeia a confecionar a saborosa broa enquanto o forno acabava de aquecer
Para fechar com chave de ouro este emaranhado de recordações, lembra me esta imagem, homens como o ti Zé Maria, o ti Antonio Sapateiro, o ti Leôncio, o ti Sebastião e por ultimo o Américo, quando ainda havia tanto sapateiro em Bogas de Baixo e vi os todos trabalhar diariamente
Enfim tempos que vão e não voltam

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

A nossa região em foco


Artes e Sabores da Maúnça
Na nossa vizinha aldeia do AÇOR que faz parte da freguesia do Castelejo,vai realizar se este fim de semana mais um grande evento. Á semelhança dos anos anteriores,nas artes e sabores da MAÚNÇA,vão poder saborear todas as iguarias que nesta aldeia tão bem sabem confeccionar. Já assisti a esta festa e garanto que é do melhor que já vi na zona
Este ano ainda para mais facilidade de deslocação, vão haver transportes gratuitos de e para o Fundão, com partidas da avenida da Liberdade entre as 16 e a meia noite para o Açor, com regresso entre as 17 e 1 da manhã, isto no dia 7 sábado. No domingo haverá transporte entre as 11 e as 19 horas para o Açor e entre as 12 e as 20 para regressar. Este ano está tambem integrado neste evento o Passeio pedestre Rota dos Castanheiros Centenários. Este passeio é no sentido de dar a conhecer aos seus participantes, o maior couto de castanheiros centenários da Cova da Beira.
inseridos numa paisagem de sonho nas abas da serra da Gardunha


Nas tasquinhas da Maúnça vão poder apreciar o sabor do coelho no azeite, os maranhos, o cabrito assadao, o feijão com couves acompanhado de carnes salgadas e enchidos, e ainda a saborosa e ancestral chanfana.
Poderão estes maravilhosos petiscos serem acompanhados com o bom pão e vinho caseiros do Açor

Tudo isto a culminar com um magestoso Magusto onde toda a gente pode e deve participar

Tambem na nossa vizinha vila de Oleiros haverá a Feira do Medronho e da Castanha
Pelo terceiro ano consecutivo o Municipio de Oleiros promove entre o dia 7 e 15 de Novembro a mostra de dois produtos emblemáticos da nossa região. O Medronho e a castanha. Podem contar os seus visitantes durante estes dias, com mais uma série de actividades pedagógicas destacando se a III maratona de BTT Rota do Medronho e a III mostra gastronómica do Medronho e da Castanha

É com eventos deste género que a nossa região, que estando meio esquecida neste emaranhado de montes e vales pode mostrar ao mundo como temos o previlégio de habitar ainda assim num paraíso na terra

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Causas de desertificação das aldeias


Bogas de Baixo, freguesia do concelho do Fundão, aldeia na rota do desenvolvimento com muitas moradias luxuosas, ruas e estradas com boas condições para serem transitadas, ar ainda sem as cargas poluentes dos grandes centros, uma flora rica em cores e aromas .
Enfim uma aldeia onde dá gosto estar.
Pode estar a perder nos tempos que correm,menos habitantes ou tem se estabilizado a sua população, á custa do regresso de alguns emigrantes que por cá empregaram parte substancial das suas economias.
Pena é que a maior parte destas lindas moradias só sejam utilizadas um mês por ano, ou ainda menos. Os seus habitantes devem estar muito abaixo dos 50% da sua verdadeira população
As causas desta onda de desertificção são remotas.
Dificilmente uma aldeia de reduzidas dimensões e fracos recursos, passaria incólume por uma vaga de emigração para a Europa e mesmo para o litoral Português nos anos 60, que ainda não parou.
Houve ainda muitos outros factores, para que isto esteja a acontecer a esta aldeia, agora com cara virada para o futuro e para a sua modernização.
Antes estivemos virados de costas para essa mesma modernização
Eu sou ainda um dos que acredita que Bogas de Baixo, não é nem nunca será uma aldeia em vias de extinção.
Muita gente jovem quererá radicar se aqui quando as forças já não forem as mesmas de agora.
As imagens que vos vou mostrar são a prova cabal das minhas afirmações

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Magusto Comunitário de 2009

Realizou se no dia 1 de Novembro mais um magusto para todos como tem acontecido anualmente.
Este ano segundo as imagens dá para ver que o magusto se concretizou nas traseiras do Centro Social e da sede da Junta de Freguesia, concerteza no terreno destinado á construção do Lar Nossa Senhora das Dores





Aqui vemos nós o Luis Alves a tratar das castanhas e do lume para as assar



Como é bem visivel, a afluencia de participantes foi grande e parece estarem a passar uma tarde de convivio bem divertida


É ainda com muita satisfação que vejo aqui pessoas conhecidas como a Salete a Maria das Dores que mesmo com a s suas dificuldades não quis faltar, a Emilia d'admoço com uma bonita idade a fazer sociedade com os amigos, o Zé Grande e tantos outros que já não vejo á largos anos
Até eu que não estive presente vibro com a visão destas imagens e quero agradecer ao David a oportunidade que me deu de as poder publicar no Ecos de Bogas de Baixo



Termino com esta imagem de alguma rapaziada da nossa terra convivendo e bebendo uma agua , sim porque o vinho e a geropiga foram beber a seguir na festa comunitária do magusto

domingo, 1 de novembro de 2009

Vai haver progresso

A Junta de Freguesia que acaba de ser eleita tem um programa que eu considero audacioso para a nossa Freguesia
se não vejamos:
Alcatroamento da Rua do Biqueiro até á EN 238 á Colada
Como muita gente s e deve recordar ainda, esta foi antigamente a unica via de acesso a Janeiro de Cima , Barroca , Silvares e Fundão. Não era viavél para camionetas por não poderem atravessar a nossa localidade pela rua da Vinha por ser como é ainda hoje estreita d e mais para poder servir de passagem a carros de grande porte.
Lembro me muito bem de pessoas que possuiam juntas d e bois como o Ti Zé Gomes o ti Manuel Frade e muitos outros terem que ir rebocar os carros que por patinarem na lama não con
seguiam subir. Acho esta obra importante para a nossa terra.
A Construção do Lar Nossa Senhora das Dores
Obra que muito virá melhorar a nossa população mais idosa. Já deveria inclusivamente estar concluido e espero ainda assim que não deixem fugir esta oportunidade.
Reforço do abastecimento de água

Tiro o chapéu e bato palmas

Pavimentação de ruas e quelhas
Pintura da Igreja (comparticipação) e já agora porque não o exterior da casa paroquial?
Requalificação da ribeira de Bogas incluindo alguns açudes mais emblemáticos Acho muito bem que se proceda a uma boa limpeza da nossa ribeira porque é ainda assim atração para quem nos visita

Clique na imagem para ver tamanho maior

Esta é uma imagem aérea das ruas da nossa aldeia onde se destaca a rua do biqueiro que será alcatroada
E do resto da Freguesia Maxial , Ladeira e Urgeiro escreverei tambem algo numa proxima postagem