Recomende este blog

São exactamente as nossas raizes culturais, familiares e sociais que nos distinguem.




sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Bogas de Baixo e a desertificação

Bogas de Baixo não foge á regra do resto do país em que a emigração deixou muitas localidades quase desertas.
A nossa aldeia nesta altura pode ser percorrida de ponta a ponta passeando por todas as ruas e quase não encontramos ninguém com quem falar.
No entanto é uma linda aldeia que em datas festivas como Natal e Páscoa e muito especialmente no verão por altura das férias, a população aumenta muitas vezes mais.
A nossa terra tem muita gente emigrada em todo o mundo muito especialmente em França. Este blogue foi criado com o intuito de poder tambem contribuir perante esses emigrantes, avivar as recordações da sua terra natal.

Em qualquer local onde se encontrem portugueses existem jornais escritos e radiofónicos em lingua portuguesa, mas não podem escrever sobre todas as terras de Portugal sendo por isso muito interessante existirem blogues dedicados a aldeias que se encontram muito interiorizadas sendo por isso mais esquecidas.
Bogas de Baixo tem hoje um aglomerado de casas bem mais modernas e bem construidas do que ha anos atraz, graças aos boguenses que diariamente labutam longe da sua terra aplicando aqui as suas economias.
Portugal recebeu segundo varias noticias mais de sete milhões de euros até meados do ano passado, provinientes de emigrantes.
Os boguenses continuam a labutar arduamente longe da sua terra fisicamente, mas mentalmente estão cá sempre. Bogas continua para sempre nos seus corações.

Vamos fazer com que Bogas resista ao efeito da desertificação e que se continue a construir novas casas sinal de que os Boguenses pensam regressar um dia.
Evidentemente que mesmo dentro do nosso País de norte a sul se encontram bogenses radicados com os seus estabelecimentos, as suas empresas ou simplesmente trabalhando por conta de outrem.
No Verão cá nos encontraremos todos nem que seja apenas por altura dos festejos em honra da Nossa Senhora das Dores que se realizão todos os anos em agosto