terça-feira, 29 de janeiro de 2008

UTENTES DAS URGENCIAS DO FUNDÃO «enganados»)

Câmara marca reunião para sexta-feira


As urgências do Hospital do Fundão foram hoje de manhã substituídas por uma consulta aberta, o que está motivar queixas de utentes.

Apesar das queixas, a administração da unidade de saúde garante que nada mudou e que já antes só eram resolvidas no Hospital do Fundão situações urgentes que pudessem ser tratadas por médicos de família.

Mas os utentes não encararam dessa forma o fim do serviço de urgências, com que se depararam a partir das 8:00. «Fomos enganados. Disseram-nos que era só uma mudança de nome, mas afinal já nenhuma situação urgente é tratada aqui», referia Pedro Serra, que aguardava pelos resultados da observação da filha. "Que continue assim a mentir, logo vê se ganha mais eleições", dizia aquele utente referindo-se ao presidente da Câmara do Fundão, Manuel Frexes (PSD).
Os ânimos exaltaram-se ainda mais com a afixação de um aviso onde se lia que, a partir de agora, a «consulta aberta não se destina a situações urgentes ou emergentes. Estas deverão recorrer ou ser orientadas para os serviços de urgência do Centro Hospitalar da Cova da Beira (CHCB)».
«Estamos revoltados. Afinal vai tudo para o Hospital da Covilhã, que com sorte fica a 15 minutos. Isso é perigoso para as aldeias mais afastadas. Já aqui se salvaram muitas vidas nas urgências do Fundão», alertava José António, outro utente.

Isabel Domigues, funcionária do hospital, lamentava que ninguém protestasse, como noutros pontos do país.

A 10 de Dezembro, o presidente da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), o presidente da Câmara do Fundão e os directores do Centro de Saúde da cidade e do CHCB, anunciaram que as urgências fechavam durante a noite (0:00 - 8:00) e durante o dia só mudavam de nome.

Numa conferência de imprensa conjunta, João Pedro Pimentel, presidente da ARSC, acrescentou que o atendimento de casos de urgência «será mais rápido» com a deslocação directa para o Hospital da Covilhã. Por outro lado destacou a instalação de uma nova viatura do INEM na cidade, que está a funcionar desde 22 de Dezembro.



«Durante o dia, continua tudo na mesma», sublinhava Manuel Frexes, presidente da Câmara.

Garantia reiterada hoje pelo presidente do Centro Hospitalar da Cova da Beira (CHCB), João Casteleiro. «A capacidade dos serviços no Hospital do Fundão é a mesma», disse à agência Lusa.

«Já quando se chamava urgência, no serviço eram resolvidas as situações possíveis de atender pelos médicos de família do Centro de Saúde» que ocupavam, tal como agora, as instalações do hospital.

«As que ultrapassavam as suas capacidades eram encaminhadas para a Covilhã. E é isso que continua a acontecer», sublinha.

«Compreendemos que as pessoas sintam dificuldade em compreender que as coisas continuem na mesma com a mudança do nome e as normas afixadas. Mas garanto que, durante o dia, nada mudou», acrescenta João Casteleiro.

«As pessoas podem sempre acorrer ao Hospital do Fundão, em qualquer situação, para serem observadas, e depois decide-se para onde são encaminhadas», concluiu.

Para além de darem lugar a uma consulta aberta entre as 8:00 as 0:00, as urgências hospitalares do Fundão passam a encerrar no período nocturno, a partir desta madrugada de quarta para quinta-feira.

Câmara marca reunião para sexta-feira

Confrontada com a situação pela agência Lusa, fonte do gabinete do presidente da Câmara do Fundão, Manuel Frexes (PSD), garantiu que "o serviço está a ser prestado nas mesmas condições que antes. Sem alterações", lamentando que avisos afixados estejam a "incendiar" os ânimos.

"Trata-se de questões de nomenclatura, uma vez que o termo "urgências" implica características técnicas existentes na Covilhã. Mas, na prática, são métodos que já antes aconteciam", garante.

Para sexta-feira, às 12:30, o autarca agendou um encontro com os jornalistas, no seguimento da reunião com João Casteleiro, presidente do CHCB e Neves Costa, director do Centro de Saúde do Fundão.
02-01-2008 Ka/Lusa

FOI ESTA E OUTRAS CONTESTAÇÕES Á POLITICA DE SAUDE DESTE GOVERNO QUE CULMINARAM COM A EXONERAÇÃO DO MINISTRO CORREIA DE CAMPOS
QUE DIGA SE A VERDADE , NÃO DEIXA SAUDADES A NINGUEM
HOJE LIVRAMO NOS DE UM GRANDE PESADELO QUE ERA TER COMO MINISTRO DA SAUDE O sR CORREIA DE CAMPOS
ADEUS E NÃO VOLTE MAIS