domingo, 23 de dezembro de 2007

BOM NATAL PARA TODO O MUNDO

<
O natal aproxima se e os hipermercados começam a encher-se de artigos próprios para esta quadra.
As prateleiras dão já um aspecto de natal atestadas de brinquedos para crianças, chocolates e outras guloseimas indicadas para serem consumidas nesta época

Mas o Natal já não é o que era
O Natal numa aldeia da Beira Baixa nos anos 50 e 60 sem electricidade era a beleza natural onde a maior luz vinha das faúlhas e das chamas dos madeiros a arder no adro da igreja. Isto no exterior porque dentro das casas eram aquelas grandes lareiras a arder para nos aquecer e cozinhar a s refeições
O natal nos anos 50 em Bogas de Baixo era a festa do Menino Jesus e das filhóses E durante a noite na lareira á volta do lume com aquelas grandes panelas de ferro bojudas e já muito negras onde se coziam as couves com batatas e se contavam um sem numero de histórias sobre o Menino Jesus.

Quase em todas as casas se faziam filhós feitas com farinha agua e azeite naquelas grandes caldeiras em cima da fogueira e para quem não tinha filhóses haveria sempre alguém mais abastado que fazia a oferta
As filhós eram para todos
Nos anos 60 ainda havia na Beira Baixa como em geral no país inteiro muitas aldeias sem electricidade. Deixavam se as portas da rua entreabertas até para passar alguma claridade do luar e quando apareciam visitas era só entrar.
No meu tempo éramos nós rapaziada com idade para ir á inspecção militar que estávamos incumbidos de procurar e carregar os cepos e madeiros para afogueira de natal


Pegávamos num carro d e bois e la íamos nós durante a noite carregar os madeiros previamente escolhidos para o efeito
Eram noites bem passadas e divertidas cantava se muitas vezes bebendo um copo de vinho com filhóses Natal natal filhóses com vinho não fazem mal
A confecção da massa das filhóses era sempre feita pela mãe e alguma amiga para a ajudar Quanto á cozedura eram sempre o pai e a mãe que sentados á lareira cada um de seu lado da caldeira que o faziam


A mãe estendia a massa e punha a dentro da caldeira. O pai com um grande garfo virava sas filhóses e tirava-as para uma cesta de verga quase sempre forrada com uma peça de linho, depois de fritas
Provavam se as filhóses e quase sempre as prendas do sapatinho eram uns bonecos feitos da massa das filhóses e algum rebuçado para os mais sortudos
No entanto era Natal a sério.

Ainda assim o mais apetecido era o bacalhau cozido com couve galega e batatas bem gostosas que todas a s famílias mesmo as mais pobres tinham por habito comer na noite da consoada
Era assim que na altura na loja do Sr Aníbal Gama se amontoavam sacos de bacalhau que já nem dá para recordar o preço. Mas era quase sempre barato porque nessa altura o bacalhau ainda se considerava comida do pobre bem regado com azeite puro e fresco acabado de chegar do lagar que existia ali á saída de Bogas para o Maxial.
Geralmente o Natal não calhava ao domingo por isso era também reconhecido por irmos todos á missa, depois duma noitada passada á beira daquela grande fogueira chispando faúlhas e rebentando corcódias ,depois duns copos bem bebidos, na parte da manhã do dia de Natal na missa o grande acontecimento era beijar O Deus Menino ali junto ao altar nas palhinhas deitado

Ás vezes com um presépio feito á maneira com musgo e arbustos que arranjávamos no campo. Nessa altura nós as crianças tínhamos o direito d e ficar perto do altar para estarmos mais perto do Menino Jesus e éramos normalmente os primeiros a beija lo “Depois vinha o almoço que também era de festa cada família comia o que podia conforme as suas posses mas quase sempre era de carne o almoço confeccionado geralmente de borrego ou cabrito pois quase toda a gente tinha umas cabritas. Galinhas eram mais para dar ovos e só se matavam quando alguém ficava doente e precisava de uma canja. Nunca s e poupavam ovos nem açúcar. É que, como sempre as festas, medem-se pelos doces
E a broa?? Cada vez que me lembro daquelas belas broas que se confeccionavam e comiam em Bogas até fico com o estômago a dar horas
A Maria das Dores era uma optima padeira para confeccionar as apetitosas broas (Pão de Milho)a href="http://bp2.blogger.com/_Q6HuLUQzSJs/R26VsrPEGyI/AAAAAAAAAj4/kQ2lbk7v7so/s1600-h/natal.JPG">



.
DESEJO A TODOS UM SANTO E FELIZ NATAL