quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Magustos

Glitter @ HotFreeLayouts.com



LEMBREI ME DE MOSTRA VOS NESTA PAGINA ALGUMAS CANÇÕES POPULARES DO NOSSO VIZINHO TIAGO SILVA DE DORNELAS

QUENTES E BOAS E QUE CHEIRINHO A JEROPIGA::::



Aproxima se o dia de S. Martinho, vai se á adega, prova se o vinho novo e completa se a festa com belos magustos em comunidade com a familia e amigos. ---
A nossa aldeia e uma das terras que cumpre á risca estes rituais
A prova disso o magusto comunitario da freguesia que todos os anos se realiza na sede de freguesia ou em qualquer das anexas
Este ano realizou se na Ladeira tendo tido uma afluencia enorme onde se comeram boas castanhas assadas, se bebeu geropiga da boa e se provou o vinho novo
Prometo desenvolver este assunto noutra pagina
Há que não perder estes usos e costumes
__________________________________________________
Sobre este tema, escreve o conceituado etnólogo Ernesto Veiga de Oliveira (1910/1990) o seguinte:
«O S. Martinho, como o dia de Todos os Santos, é também uma ocasião de magustos, o que parece relacioná-lo originariamente com o culto dos mortos (como as celebrações de Todos os Santos e Fiéis Defuntos). Mas ele é hoje sobretudo a festa do vinho, a data em que se inaugura o vinho novo, se atestam as pipas, celebrada em muitas partes com procissões de bêbados de licenciosidade autorizada, parodiando cortejos religiosos em versão báquica, que entram nas adegas, bebem e brincam livremente e são a glorificação das figuras destacadas da bebedice local constituída em burlescas irmandades. Por vezes uma dos homens, outra das mulheres, em alguns casos a celebração fracciona-se em dois dias: o de S. Martinho para os homens e o de Santa Bebiana para as mulheres (Beira Baixa). As pessoas dão aos festeiros. vinho e castanhas. O S. Martinho é também ocasião de matança de porco.» (in As Festas. Passeio pelo calendário, Fundação Calouste Gulbenkian, 1987)
* Basílicas de S. Martinho em Tours
====================================
PROVERBIOS DE S MARTINHO
· A cada bacorinho vem o seu S. Martinho.
· A cada porco vem o seu S. Martinho.
· Em dia de S. Martinho atesta e abatoca o teu vinho.
· Martinho bebe o vinho, deixa a água para o moinho.
· No dia de S. Martinho, fura o teu pipinho.
· No dia de S. Martinho, come-se castanhas e bebe-se vinho.
· No dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho.
· No dia de S. Martinho, mata o porquinho, abre o pipinho, põe-te mal com o teu vizinho. (sic.)
· No dia de S. Martinho, mata o teu porco, chega-te ao lume, assa castanhas e prova o teu vinho.
· No dia de S. Martinho, mata o teu porco e bebe o teu vinho.
· No dia de S. Martinho, vai à adega e prova o teu vinho.
· Pelo S. Martinho abatoca o pipinho.
· Pelo S. Martinho castanhas assadas, pão e vinho.
· Pelo S. Martinho mata o teu porquinho e semeia o teu cebolinho.
· Pelo S. Martinho nem nado nem no cabacinho.
· Pelo S. Martinho prova o teu vinho; ao cabo de um ano já não te faz dano.
· O Sete-Estrelo pelo S. Martinho, vai de bordo a bordinho; à meia-noite está a pino.
· São Martinho, bispo; São Martinho, papa; S. Martinho rapa.*
· Se o Inverno não erra o caminho, tê-lo-ei pelo S. Martinho.
· Se queres pasmar o teu vizinho, lavra, sacha e esterca pelo S. Martinho.
· Veräo de S. Martinho säo três dias e mais um bocadinho.
· Vindima em Outubro que o S. Martinho to dirá.
Fonte: http://smartinho.blogspot.com/

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

FREGUESIAS INVESTEM EM OBRAS



Contando com a Câmara e as seis juntas de freguesia do Pinhal Interior envolvidas, o negócio das energias renováveis com a GENERG – Ventos da Gardunha contempla 300 proprietários agrícolas no total. Souto da Casa, Castelejo, Lavacolhos, Barroca e Bogas de Baixo e Bogas de Cima são as freguesias envolvidas e que ontem assinaram também os protocolos com a GENERG – Ventos da Gardunha, referentes à exploração dos aerogeradores instalados em cada uma. Os documentos prevêem valores variados, sendo as verbas serão usadas em centros de dia, acessibilidades, escolas e prevenção da floresta, entre outros.
Assim, Souto da Casa irá receber 59.820 euros; Lavacolhos 72.339 euros; Castelejo 251.642 euros; Bogas de Cima 353.000 euros; Barroca cerca de 39.000 euros; e Bogas de Baixo pouco mais de 66.000 euros.

Na cerimónia, João Bartolo, representante GENERG – empresa mãe da Ventos da Gardunha – preferiu salientar o compromisso com o ambiente e sustentabilidade do projecto, deixando o desejo de, no futuro, aumentar de forma a abranger também a freguesia de Silvares.


Noticia publicada no DIARIO XXI

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

AS FOTOS DA ELSA


=

=

=
as fotos foram tiradas do ribeiro da volta ao pôr do sol no fim de agosto. Esta parte da aldeia, pouco se vê quando tiramos uma foto da Portela. Acho que a gente de Bogas que irà ver a sua casa ai, ficarà contente.
Elsa

=
A foto com a "burra" e a ovelha foi tirada antes da festa. O homen que vinha com estes animais, tambem trazia um cabrito. A tradiçao quer que, nos dias da festa de Nossa Senhora das Dores e Jesus Adolescente se come o tradicional cabrito assado no forno de lenha. Que delicia!!!
Elsa



=

=
Achei as fotos da Elsa Martins um espectaculo e não podia deixar de publica las aqui mesmo
A Elsa que me perdoe mas terá que enviar um comentario e fazer uma descrição promenorizada de cada uma delas
Foram tiradas do Ribeiro da Volta isso eu ja percebi

Obrigado Elsa Anibal e Vanda

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Vem aí o dia de Santos e logo a seguir o Natal



Ola amigos leitores deste blog

Estamos a caminho do dia de todos os Santos e tambem cada vez mais perto do natal
Muitos de vós irão passar estes dias à aldeia querida, por isso todos voces se puderem tragam la umas fotos ou uns comentarios destas festividades la na nossa terra, isto porque muitos de nós (como eu por exemplo) não podem ir á terra nesta época.
É sempre um grande prazer para nós Boguenses, vermos que cada vez ha mais pessoas a visitar este blog e a divulgar a sua existencia.
Boas ferias a todos os que vão e tambem boas festas aos nossos familiares que se la encontram

Ate breve com os vossos comentarios

Esta foto mostra que mesmo no estrangeiro nao esquecemos as nossas raizes pois fazendo parte inteira deste rancho folclorico divulgamos tambem os nossos costumes a nossa musica